sexta-feira, 31 de maio de 2013

Emagrecer pra quem?

O post de hoje era para ser sobre yoga e atividades afins, mas nessa semana me deparei com um assunto recorrente e sinto que preciso me expressar. Quase entrei em discussão de facebook, quase comentei matéria de jornal e quase respondi postagem de blog gringo. Mas todas as vezes achei que seria má ideia, que não ia conseguir transmitir o que estou pensando, que ia receber respostas escrotas, enfim, só ia perder tempo e me estressar.

O assunto é o seguinte: mulheres devem tentar emagrecer? Por quê? Pra quem?

O primeiro evento que me fez pensar nisso - essa semana, né, hehe - foi uma discussão de facebook que, na verdade, era sobre maquiagem, algo a respeito de por que homens não podem usar ou algo assim. A conversa rapidamente degringolou para afirmações como: 

- "Homem nenhum gosta de maquiagem; mulher usa para competir com outras mulheres"; 
- "Homem não usa porque não é obrigado a ser perfeito/bonito, como as mulheres",
- Homens respondem: "são, sim, só que o padrão é outro, é o da macheza" etc.

Ok que o assunto é maquiagem e não emagrecimento, mas no final dá no mesmo. Trata-se de padrões de beleza e expectativas.



Vamos à primeira afirmação, que me irrita profundamente: de que mulheres se arrumam não para os homens, mas competir entre si (normalmente dita por homens). Não sei o que é pior, presumir que a identidade visual da mulher existe em função dos homens, ou aquela velha história de que não existe amizade verdadeira entre mulheres, pois estão sempre em competição. Que chatice, hein? Depois, se estão em competição, é pelo quê? Óbvio que, no fundo, a competição seria pela atenção dos homens, então nada mais é do que o habitual egocentrismo masculino, acrescido de uma diminuição dos sentimentos pelas mulheres (no caso, delas por elas mesmas). 

Aliás, se mulher não é realmente amiga de mulher, e homem só é amigo de mulher quando tem interesse sexual nela, ou seja, também não é realmente amigo, o que sobra para a pobre coitada? Ser sozinha e infeliz nesse mundo frio e insensível, enquanto os homens desfrutam do mais profundo senso de camaradagem ("bros before hoes")? Ah, sim, sobram seus maridos e namorados, únicos capazes de serem seus reais companheiros...

É tão difícil assim imaginar que a mulher pode estar se arrumando/maquiando/emagrecendo por si própria, e não por um terceiro, seja homem ou mulher? Simplesmente porque ela olha no espelho, não gosta do que vê e está a fim de se sentir melhor? Eu sei que isso é superclichê e inclusive tenho abuso desses papos de ter que se valorizar, blablablá, mas pelo menos EU sou assim: quando estou em frente ao armário escolhendo o que vou usar, não estou pensando no meu namorado ou na "concorrência"; estou considerando o que vai me cair bem naquele dia.

Claro que quero que me achem bonita. Claro que quero poder presumir que, se eu ficar a fim de alguém, ele terá interesse por mim. Claro que, num encontro com mulheres, não quero ser A MAIS horrorosa do grupo. Mas isso não quer dizer que eu me arrumo ou emagreço em função deles. Sabe como funciona para um homem? Então, igual.

Ah, se é igual, então por que mulheres passaram horas se arrumando, enquanto homens ficam prontos em 15 minutos? Por que passam 20 produtos de maquiagem na cara, enquanto o homem não precisa de nenhum para se sentir bem? Por que se submetem a dietas eternas, quando não a procedimentos invasivos, enquanto o homem cultiva uma barriguinha sexy? Aí vem a questão da cobrança, que é totalmente diferente para homem e para mulher. O que é considerado normal ou aceitável para um, não é para outro, e quem negar está mentindo. Até tinha me proposto a argumentar que nem gente e dar os zilhões de exemplos que comprovam que isso é mentira, mas me deu preguiça. Vamos lá: pense honestamente e você saberá que mulheres são infinitamente mais cobradas em sua aparência do que homens.

E, por falar em mentira, acho muito engraçadas essas afirmações unânimes de que homens não gostam de maquiagem. Pode até ter um ou outro caso excepcional de homens que não gostam mesmo, mas, se você mostrar duas fotos da mesma mulher, uma com maquiagem (bem feita e não exagerada, óbvio) e outra sem, aposto que a grande maioria prefere a com maquiagem. É certo que a maioria realmente não gosta de maquiagem exagerada, mas a mesma maioria nem percebe muito bem se a mulher está maquiada ou não, a não ser quando tem alguma coisa óbvia, tipo esfumadão preto, bocão vermelho, blush palhaço etc.



Meu problema com esse tipo de discurso são dois:

1) Critica a mulher que usa maquiagem sem que homens gostem, mas espera uma atitude autônoma.

Com isso quero dizer o seguinte: não gosta de maquiagem? Azar o seu! Eu que estou usando. Inclusive adoro uma maquiagem exagerada, do tipo que homens não gostam mesmo, mas e daí? Dá licença para EU gostar? Se o discurso é que a pessoa tem que ter sua identidade visual definida em função de si mesma, e não de outrem, por que ficam julgando todo mundo que não está de acordo com o gosto masculino?

2) Diz que prefere a mulher ao "natural", mas zoa/rejeita/pretere a mulher se for feia.

Essa, pra mim, é a questão crucial, e se aplica melhor à questão do emagrecimento. E é aí que entra a questão da Tieta velha.



A Tieta velha foi o segundo evento a gerar esse desabafo. Trata-se da seguinte notícia: Betty Faria, eterna Tieta, foi à praia. De biquíni. Por que isso é notícia? Porque ela tem 69 anos, não está fazendo (?) cirurgias plásticas, nem se matando para permanecer magra, logo ela não estava uma gostosona como aparentemente é sua obrigação. Além disso, um amigo a censurou, dizendo que ela deveria "se proteger mais".

Aí ela ficou puta - com razão - e fez uma espécie de protesto pelo direito de envelhecer:


“O mundo quer uma burka para as mulheres que estão tentando viver e sobreviver aos tempos, às décadas, às agruras da vida, e muito mesmo a uma vida bem vivida. Não quero burka, não! Vou morrer velhinha de biquíni na praia. É uma sensação de liberdade tão boa. É o mínimo nesse Brasil tão careta."


Como seria de se esperar, o "protesto" foi compartilhado e curtido aos milhares no Facebook. Na parte de comentários da notícia, praticamente todos estão apoiando a atriz, com muitos dizendo que ela tem toda razão porque ela ainda pode usar biquíni, ou porque ela sempre será a Tieta. Ou seja, ela, sim; outras velhas menos famosas ou um pouco mais gordas, não.

Mas esse nem foi tipo de comentário que me incomodou mais. Paradoxalmente, o que me irritou foram os incontáveis comentários de caras apoiando a atriz e se posicionando contra a plastificação das mulheres, contra a "ditadura da magreza", contra aquelas que não aceitam a velhice e o próprio corpo e ficam se privando  eternamente em dietas ou correndo risco de vida em cirurgias para alcançar a forma perfeita.

Ué, mas esses caras estão sendo legais, qual o problema? É que esses mesmos caras, quando deparados com uma mulher mais velha que não fez plástica, com uma gordinha, ou, pior e mais natural ainda, com uma velha gordinha, tendem a rejeitá-la. Claro que sempre tem exceções, e aquele caso do um cara que é amigo do cunhado do seu tio e preferiu uma velhota gorda a uma novinha gostosa é exatamente isso: a exceção que confirma a regra. 

Ou seja: na prática, o cara te rejeita se você não se submete ao padrão de beleza; no discurso, ele te condena se você se submete à "ditadura da magreza" e toma providências para melhorar sua aparência. Não tem escapatória: a menos que você seja aquele 1% de pessoas naturalmente gostosas e na restrita faixa etária considerada ideal, você vai estar errada. E, em muitos casos, vai estar errada mesmo se for uma dessas sortudas, afinal sempre tem alguém para te achar magra ou gorda demais.

Aliás, muitas vezes esse discurso que aparentemente é a favor da mulher "normal" se transforma em mais uma regulação escrota do corpo da mulher. É o caso do terceiro evento que me fez escrever tudo isso: a discussão sobre o corpo da atriz Christina Hendricks.



Christina Hendricks faz o papel de Joan Holloway/Harris na série Mad Men (amo e recomendo com força). Ela é A gostosona da parada, sempre retratada como femme fatale, naquelas tomadas de câmera que endeusam a mulher (subindo devagarinho, de baixo pra cima etc.). O interessante é que ela é bem voluptuosa. No início eu achava que era apenas, enfim, um retrato fiel do padrão de beleza da época (anos 60), que favorecia mais as curvas que o atual, principalmente considerando os EUA (nossas popozudas saradas lá seriam consideradas gordas). Mas, depois, fui reparando melhor, e ela é um pouco mais que curvilínea; tem barriga, umas pernas gordinhas e tal. Achei massa. 

Não simplesmente porque é uma "gordinha" fazendo sucesso, mas porque ela é retratada como gostosa, e isso faz toda a diferença. Tem vários sites proclamando que "as curvas estão de volta à moda", comparando a Hendricks com a Adele e com a Lena Dunham, da série Girls. Sinceramente, acho que não tem nada a ver. A Adele é sempre zoada por ser gorda, ou admirada por ser "gorda, mas com um rosto lindo" (como se presumivelmente gordas fossem feias). A Lena Dunham tampouco é referência de beleza; aliás, o papel dela é justamente o de uma gordinha insegura. A Hendricks não: ela é a fodona da série, colocada pela TV e considerada pelo público como muito mais atraente que as outras atrizes padrão da série.

Aí chega um babaca e faz um post dizendo que ela está gorda, e não "curvilínea". Para comprovar que ela engordou, posta fotos comparando ela de boa na piscina (pega de surpresa por paparazzi) com fotos promocionais da série, todas montadas. Além do anta não perceber o absurdo de fazer uma comparação dessas, ainda faz comentários do tipo (traduzi livremente): 

"Na primeira temporada de Mad Men, todos ficamos loucos por Christina Hendricks porque ela não parecia uma loira burra esquelética com peitos turbinados. Eca. Elas parecem copos descartáveis de café, prontos para serem preenchidos com sêmen e baixa auto-estima...e talvez uma pitada de Valtrex. Me entristece que sempre digam às garotas que elas precisam parecer um picolé cor-de-laranja com semicírculos colados no tórax." 

Talvez você ache que esse é um cara legal, que é contra a padronização da mulher. Que essa agressividade contra as mulheres que se submeteram à "ditadura da beleza" é justificada. Mas logo ele acrescenta, referindo-se ao ganho de peso da Christina:

"Mas, por causa desse absurdo de "ela está trazendo as curvas de volta", foi como se repente qualquer coisa servisse, e logo isso aconteceu (ela engordou). Não estou tentando ser cruel, mas sei que vão ficar com raiva de mim por dizer isso. E imagino que  provavelmente o motivo para isso é que também são gordos, e estão procurando uma maneira de justificar sua total falta de controle. É que ela simplesmente não parece saudável. Vou presumir que a única razão pela qual as pessoas são tão inclinadas a defendê-la é porque ela tem peitos gigantescos. Não me entendam mal, eles são fantásticos. Só queria  que ela fizesse um pouco de caminhada ou algo assim, afinal é um ótimo exercício. É, eu sei, Sou tão babaca por querer que as pessoas sejam saudáveis."

Ah, olha só que bonzinho, ele só quer que ela seja saudável! Que legal da parte dele!

Sério que alguém acredita? Acho que nem o próprio cara acredita nisso...O cara não está nem aí se a mulher é saudável ou não; ele quer é que ela seja gostosa, de acordo com a definição dele e para apreciação dele. Ele não sabe se ela está saudável ou não. O mero fato de ter engordado não quer dizer nada. Tem gente que tem um biotipo mais gordo que outros e o saudável e normal para essa pessoa é ser gorda.

Gordice também não depende unicamente de autocontrole. Claro que é necessário para emagrecer, mas uma pessoa não é gorda por causa disso (a não ser em casos extremos), mas por causa do seu metabolismo. Duas pessoas podem comer exatamente a mesma coisa e uma ser gorda e a outra ser esquelética. Uma pessoa pode comer supersaudável e ser gorda e outra pessoa que só come porcaria ser magra e definida. 

Então a mulher não está como o cara queria e ele começa a culpá-la, dizendo que ela é descontrolada e preguiçosa e ele tem todo o direito de normatizar o corpo dela porque, afinal, ele só quer o seu bem. O mesmo cara que, dois parágrafos antes, escrotiza as magrelas por se submeterem ao padrão de beleza estabelecido. 

Pra mim, essa é a mesma atitude da maioria dos apoiadores da Betty Faria. As pessoas criticam o padrão, mas querem que você se encaixe nele, ou em um levemente diferente daquele. Não pode ser nem um pouco a mais, nem um pouco a menos: somente a perfeição é aceitável, saudável, normal.

Mas que perfeição é essa?

Vi essa semana uma matéria com um editor da Playboy, em que ele era questionado por criar mulheres irreais, propagando um padrão de beleza que só é alcançável por meio de Photoshop. Ao mesmo tempo, tem essas campanhas da Dove, celebrando a "beleza real", que são compartilhadas e curtidas por deus e o mundo.

Gente, sério que é preciso que alguém venha te falar que ninguém é perfeito? Pior então quando estria de modelo vira notícia, e vêm aqueles comentários: "nossa, Fulana também estrias!!!". Você realmente acha que elas não têm estrias ou nada parecido, que é só você? Elas têm, sim, e muitos outros "defeitos" que estão na nossa cara, mas que, por algum motivo, passamos a achar bonitos ou aprendemos a perdoar. É tão óbvio que me sinto um pouco estúpida de falar isso.

Nessa semana, tinha uma manchete que dizia: "Gisele Bündchen exibe corpo perfeito em ensaio da Vogue". Aí olhei a foto e vi o corpo de sempre da Gisele, só que com mais óleo e bronzeador artificial. Pra falar a verdade, nunca achei o corpo da Gisele grande coisa. Aliás, meu referencial de beleza sempre foram mulheres gostosas, não modelos magrelas. Acho estranho que as mesmas gurias zoadas na escola por parecerem girafas sejam endeusadas por seus zoadores quando aparecem na passarela e na televisão.



Acho que é justamente isso que acontece. Se dizem que uma coisa é bonita, e repetem aquilo mil vezes, e todo mundo parece concordar, no fim você começa a achar que é bonito mesmo (tipo calças saruel ficando na moda, haha). As pessoas perdem o próprio parâmetro do que é bonito; param de acreditar nos seus olhos para confiar no discurso. Sabe quando pegam aquela atriz super-sem-graça e colocam para fazer o papel de linda na novela? Você pensa que ela nunca vai convencer ninguém, mas logo vê a mulher saindo em tudo que é capa de revista de beleza e boa forma, sendo cotada para a Playboy e povoando as fantasias masculinas - e femininas.  Esquecem que ela é uma pessoa, com todos os seus defeitos visíveis e invisíveis.

Por isso achei tão interessante a Christina Hendricks no papel de gostosona. Ela não é perfeita, nem precisa ser. É só outro padrão de beleza. 

Por isso acho que você tem que se orientar pelo que você acha bonito e se esforçar o quanto você quiser para alcançá-lo. Ninguém tem nada com isso. Quem vai sentir a dor e a privação é você; quem vai sentir a rejeição e a insatisfação também é você.

Por isso acho que a Betty Faria tem todo direito de ir à praia de biquíni, se ela se sente confortável com isso. Mas quem não se sente também tem o direito de não ir ou de usar um maiô, ou mesmo de fazer uma plástica.

Por isso eu uso maquiagem e tento emagrecer: quero olhar no espelho e achar que está bom, independentemente dos outros homens e mulheres. Mas também quero poder sair de cara lavada, engordar e envelhecer sem ninguém me encher o saco.


quarta-feira, 29 de maio de 2013

Como foi: 7º fim de semana, Fase 1

Hoje tenho uma supernovidade: passei o fim de semana todo sem enfiar o pé na jaca! Um feito inédito!


Esse foi o primeiro finde no novo esquema de alternar fins de semana de dieta com fins de semana mais livres. Esse, portanto, era o "fds A", em que a missão era ficar dentro da meta normal de 1300 kcal. Nesse caso, era especialmente importante economizar calorias, porque o fim de semana que vem (na verdade,  todo o feriado de Corpus Christi) será uma Ocasião Especial (meu aniversário), em que vou chutar totalmente o balde.

No entanto, ainda era fim de semana e eu queria comer bem, então fiz toda uma programação especial, com cardápio planejado para ser light e gostoso. A ideia era mais ou menos essa:

Cardápio Especial de fim de semana


Café da manhã: 

- 1 pãozinho integral + 1/4 de colher de sopa de cream cheese light + 1 Actimel (174 kcal )

Almoço:

- Atum com especiarias, acompanhado de arroz branco e abobrinha refogada (499 kcal)

ou

- Lombo de porco assado, acompanhado de arroz branco e abacaxi grelhado (504 kcal)

- Bebida: Taça pequena de vinho branco (60 kcal)

- Sobremesa: Cupcake light de baunilha com frutas vermelhas (supostamente 73 kcal)

Lanche: 

- Pipoca light com manteiga Yoki (84 kcal)

Janta: 

- Nachos com chilli (450 kcal)

- Bebida: Ginger Ale Schwepps (0 kcal)


Total: 1345 kcal 

Deu certo! :)

Sábado

Apesar de já estar tudo programado, tive alguns percalços. Para começar, de manhã cedo tive uma aula de yoga na beira do lago (muito legal, farei post sobre), mas ela atrasou e acabei tendo que fazer compras com fome, na hora do almoço - o que já sabemos que é tragédia certa! haha

Para piorar a situação, estava rolando uma degustação (grátis) de comida japonesa no supermercado. Já falei que não consigo resistir a comida de graça, né? Juntou com a fome e obviamente fui lá aproveitar. Mas me contive e só comi 4 sushis, que passei a contar como um "lanche da manhã". haha Isso não estava previsto no cardápio e já começou a atrapalhar a programação. Pelo lado positivo, aplacou um pouco minha fome e consegui fazer umas escolhas mais racionais na hora de comprar.

O atum com especiarias, que era o prato do dia, ficou bem gostosinho e dentro do previsto (em breve posto a receita). Tirando que a comida só saiu às 15:30 (porque fiz a sobremesa antes), até aí tudo bem. 

Atum com especiarias, arroz branco e abobrinha refogada


O problema foi o cupcake. Tirei a receita do Saboridades, que dizia que o cupcake tinha 73 kcal. Como o site é de uma nutricionista e é voltado exatamente para comidas leves, confiei. Porém, durante a preparação, comecei a desconfiar desse valor e fui calcular: descobri que cada cupcake tem, na melhor das hipóteses, 158 kcal! Isso porque ela dá algumas opções, como usar açúcar ou adoçante, e não fala nada sobre usar leite e iogurte integral ou desnatado. Mas, mesmo usando todas as opções mais lights de ingredientes, a receita fica com 158 kcal. Ela diz que rende 8 porções e, pra mim, só rendeu 6, o que influencia, mas, mesmo que tivesse dado 8 cupcakes, nunca cada um teria só 73 kcal. Não sei que conta foi essa. :P

Isso, junto com o sushi, zoou com a programação do dia. Excluí a pipoca de lanche (até por causa do horário do almoço), mas não quis abrir mão da janta. Resultado: fechei o dia com 1582 kcal.

Ok, passou da meta, mas ainda assim é um resultado razoável, principalmente considerando que estava tudo muito gostoso! Inclusive o cupcake: apesar de enganoso, ficou superbom e achei que valeram a pena todas as calorias. :)

Domingo

Domingo também teve algumas surpresas, mas foram positivas.

Para começar, acordei tarde, então pulei o café da manhã. Depois, quando fui contabilizar direitinho as calorias do lombo assado, descobri que, segundo o fabricante da peça que comprei (Pantaneira), a carne tinha muito menos calorias do que eu tinha estimado, usando tabelas de calorias da internet. Achei até meio suspeito: segundo eles, cada 100g do lombo tem apenas 43 kcal. Tudo bem que era um corte magro e sem gordura, mas o normal era ter 143 kcal. Uma diferença bem grande. 

Bem, como eu não tinha como testar cientificamente a quantidade real de calorias, resolvi acreditar do fabricante! haha Desse modo, meu lombinho ficou totalmente delicioso, bem saciador, e a refeição toda contou apenas 504 kcal. Vou postar a receita também! :)


Lombo assado na erva-doce, arroz branco com
molho da carne e abacaxi grelhado com tomilho

O resto do dia foi igual ao sábado: cortei a pipoca de novo, para compensar o cupcake, e jantei os nachos, ficando só com 1328 no total! \o/

By the way, esses nachos nada mais são que Doritos, meu biscoito salgado preferido de todos os tempos, acompanhados do "chili con carne" mexicano. Ficou superdelicioso! A receita não é nada light, mas ainda assim coube na programação. Vou postar também (zilhões de posts prometidos), dentro dessa proposta de comida gostosa não tão saudável, mas dentro da dieta.

Aliás, foi também dentro dessa proposta que tomei o Ginger Ale, uma espécie de refrigerante de gengibre, que não é propagandeada como light, mas tem zero calorias. Eu sei que refrigerante light faz mal e atrapalha a dieta, por isso tomei só no fim de semana, pra dar uma alegrada, até porque me pareceu muito nada a ver comer os nachos com chilli junto com chá verde, que é meu acompanhamento habitual. 

A mesma coisa com o arroz: teria sido melhor comer a versão integral, mas abri uma exceção no fim de semana, pois não altera o cálculo de calorias e permite que meu namorado, que odeia qualquer coisa light, coma também. Aliás, tirando o cupcake, ele gostou de todos os pratos, o que também é um feito inédito em se tratando de "comida de dieta".

Resultado

Não engordei nada no fim de semana! \o/ Acho que é a primeira vez que isso acontece! E o melhor: não foi um fim de semana triste, de privações e sofrimento (drama, mas é verdade); ao contrário, comi superbem, inclusive sobremesa e vinho, e até me diverti montando o cardápio light e gostoso. :)



terça-feira, 28 de maio de 2013

Receita: Penne ao molho vermelho de funghi

Essa receita não é tão light e saudável, pois leva pancetta (um primo rico do bacon). Inclusive, não fiz com a proposta de ser parte da dieta; era uma refeição "livre" de fim de semana. Porém, cada porção ficou com cerca de 500 calorias, então incluí no meu cardápio dietético e consegui emagrecer na semana em que a comi quase todo dia. Acho uma boa opção para quando se tem vontade de comer alguma coisa gostosa, sem precisar sair da dieta. Eu, pelo menos, amo essa combinação de tomate + funghi + pancetta. Nham!


Penne ao molho vermelho de funghi






Calorias: 544 kcal por porção 

Ingredientes para 6 porções:

500g de penne

30 g de cogumelos porcini secos hidratados (reserve a água) e picados

1/2 kg de tomates bem maduros e firmes

100 g de pancetta temperada (ou bacon) picada em pedaços pequenos

1 cebola média picada em pedaços pequenos

50 g de queijo parmesão ralado

4 colheres (sopa) de cebolinha verde picada (mais um pouquinho para decoração)

- 3 colheres de chá de azeite

- 1 colher de chá de manteiga

- 4 colheres de sopa de sal grosso


- Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:

1) Coloque água para ferver. Enquanto aquece, elimine os pedúnculos dos tomates e pique os demais ingredientes. 

2) Separe uma parte da água fervente para hidratar os cogumelos. Leva pelo menos 30 minutos para perderem aquele aspecto de seco, mas gosto de deixar por cerca de 1 hora. Não jogue a água fora; ela será parte do molho.

3) Coloque os tomates inteiros no restante da água fervente e deixe por 1 minuto. Retire do fogo, escorra a água e deixe por uns 2 minutinhos em água fria. Em seguida, retire a pele dos tomates: deve sair com muita facilidade. Pique os tomates em pedaços pequenos, preservando o caldo e as sementes. 

4) Em uma frigideira funda, aqueça o azeite e a manteiga e frite a pancetta até dourar.

5) Junte a cebola e refogue, mexendo de vez em quando, até ficar macia.

6) Junte os tomates com o caldo e as sementes, os cogumelos, a água reservada, o sal e a pimenta-do-reino. Cozinhe, mexendo de vez em quando, por 20 minutos, ou até o molho encorpar. Nos últimos 5 minutos, misture a cebolinha verde ao molho, acerte o sal e retire do fogo.

7) Enquanto isso, ferva uma panela bem grande de água com o sal grosso. Quando estiver faltando cerca de 10 minutos para o molho ficar pronto, coloque o penne para cozinhar nessa água. Siga as instruções da embalagem; em geral leva cerca de 10 minutos para ficar pronto. Para saber se já está bom, pesque um penne e corte ao meio: logo que aquele esbranquiçado sumir, tire imediatamente do fogo e escorra.

8) Distribua a massa nos pratos, cubra com o molho e polvilhe o queijo ralado por cima. Decore com uns pedacinhos de cebolinha.



Está pronto! :) Dei muitos detalhes, pois considero importantes para a massa ficar boa, mas não dá muito trabalho para fazer. Ah, tirei essa receita do CyberCook e, como sempre, dei uma adaptada. Roubei a foto de lá, pois, como não era para ser parte da dieta, nem pensei em fotografar meu prato. Espero que gostem! :)

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Como foi: 7ª semana, Fase 1

Na semana passada resolvi dar uma variada no cardápio e mudei quase todas as refeições habituais.  Ficou um pouquinho mais calórico que o normal, mas ainda razoavelmente dentro da meta de 1300 kcal e foi bem gostoso. Segui de segunda a sexta, e foi o seguinte:


Cardápio



Café da manhã: 

- 1 pãozinho integral + 1/4 de colher de sopa de cream cheese light + 1 Actimel (174 kcal )

Almoço:

- Penne com molho vermelho de cogumelos e pancetta (498 kcal)

- Sobremesa: flan de caramelo Batavo (123 kcal)

Lanche: 

- Queijo babybel light Saint-Paulin + maçã + 1 castanha-do-pará + 2 amêndoas (196 kcal)

Janta: 

- Ovos com ervilhas e molho de tomate ou omelete (288 kcal)

- Sobremesa: 1/2 mamão-papaia com 1 colher de chá de mel (46 kcal)


Total: 1325 kcal 



Café da manhã

O pãozinho integral é de um kit de comida congelada light para lanche e café da manhã, que comprei de uma nutricionista com quem eu me consultava há um tempo atrás. Ele é bem gostosinho e, apesar de pequeno, dá bastante sustância, com apenas 80 calorias. Farei post a respeito em breve.

Almoço

Esse penne não é exatamente light, pois leva pancetta, que é uma espécie de bacon mais gostoso que bacon (sim, é possível!), mas as calorias dele ainda ficavam dentro do limite e o principal: tinha um monte sobrando da comida que fiz domingo. Ou seja, comida gostosa, já pronta e não tão calórica; é claro que não ia desperdiçar a oportunidade. :P Postarei receita dela em breve.

A sobremesa foi outra novidade: revezei meu habitual iogurte grego com esse flan, só para variar. Devo dizer que não valeu muito a pena, não. Sou muito mais o iogurte, que ainda por cima é menos calórico.

Lanche



Troquei o polenguinho light por esse queijinho. Não sei se vocês já viram por aí, mas sempre achei muito bonitinho e, quando vi a versão light, nem pestanejei. Tem só 42 kcal e é queijo mesmo, não processado e molengo que nem o Polenguinho, então é bom para quando tenho vontade de mastigar. Tem um sabor meio esquisito, mas ainda assim é queijo e vem numa embalagem muito fofa (haha, menininha), embrulhado individualmente e ainda dentro de uma camadinha de cera vermelha que sai fácil. Achei que combinou bem com as amêndoas e frutas que comi junto. :)

Janta

Na verdade cada dia fiz uma coisa diferente, usando ovos + restos que estavam sobrando na geladeira. Apesar disso, tudo ficou razoavelmente gostoso. Eventualmente posto a receita desses ovos com ervilha e molho de tomate, que na teoria parecem uma combinação estranha, mas na prática são bem gostosos.

Quinta-feira

Na quinta não segui o cardápio, pois tive almoço de despedida de uma diplomata neozelandesa que está indo embora do Brasil (goodbye, Helen!). Esses almoços de trabalho são pagos/oferecidos por quem convida e, como uma verdadeira morta de fome, tenho imensa dificuldade de me controlar em situações assim. É uma sensação escrota de "é de graça, tenho que aproveitar!". :P

Pelo menos dessa vez foi em um restaurante, onde cada um escolhe seu prato, em vez de serviço à francesa, em que o garçom traz seu prato pronto e você não tem escolha sobre o que vai comer. Fomos no Carpe Diem (104 Sul) e pedi um filé com alho, acompanhado de arroz com brócolis e salada de agrião. Não era o prato mais light do cardápio, mas achei razoável e não me senti desperdiçando a ocasião.

Foi uma ótima pedida! A comida estava deliciosa. O bife era imenso, então pelo bem da dieta me contive e não comi todo. Tudo levava bastante azeite (estimei umas 3 colheres de sopa), mas, não fosse por isso, teria sido uma refeição light, sim. Contou 813 kcal ao todo.

Para compensar, lanchei só uma ameixa e um iogurte light, depois jantei normalmente e consegui fechar o dia dentro da meta.\o/

Resultado

Na sexta de manhã, tinha perdido os 700g que ganhei no fim de semana. :) Considerando que o cardápio estava bem gostoso e saciador, achei um ótimo resultado!

domingo, 26 de maio de 2013

Mudança de planos



Como falei no último post, depois de 6 semanas de dieta ficou bem claro que o motivo de eu não estar emagrecendo como gostaria são os fins de semana. Olhando a tag Deslizes, vejo que tenho 8 posts marcados, que são justamente os 6 fins de semana e o feriado pelos quais passei nesse período (mais um post geral falando sobre como lidar com os delizes). Ou seja, não saí ilesa de nenhum!

Eu tenho uma grande necessidade de comer bem nos fins de semana, pois, como já comentei, eu associo dieta a chatice e obrigação, como um trabalho mesmo, e não parece fim de semana se não posso comer. 

Por isso, inicialmente criei o esquema dos dias de limite aumentado: sexta, sábado e domingo não são livres, mas tenho direito a consumir 300 kcal a mais por dia. O problema é que isso, em vez de ajudar, está atrapalhando, pois cria uma falsa impressão de que posso comer normalmente (como uma pessoa fora de dieta) nessas ocasiões. 

Não posso! O que isso me permite é tão-somente ou uma bebida ou uma sobremesa ou uma comida mais pesadinha por dia. Mas nunca consigo me ater a isso e tenho que pensar em algum outro esquema se quero continuar perdendo peso.

A primeira coisa que me ocorreu foi mudar para a Fase 2 da dieta, em algum esquema bem mais rigoroso, tipo low carb, que não permite jacação nenhuma. Mas achei injusto. A Fase 1, de controle de calorias, funciona muito bem quando sigo direitinho: posso comer o que quero, posso ter vida social, é superflexível e me faz perder entre 500g e 1kg por semana. Não é ela que tem que mudar, sou eu.

Pensei então em cortar o limite aumentado dos fins de semana: teria direito a 1450 kcal por dia, todo dia, e acabou. Mas isso é ruim porque dificulta muito minha vida social: não tem como ir a uma festa ou sair para jantar com esse limite. Ter que ficar recusando tudo e explicando que estou de dieta é um saco e não consigo passar pela vida sem umas boas comidas de vez em quando.

Então, o que decidi foi o seguinte: vou alternar um fim de semana sem limite aumentado com um fim de semana quase livre. Ou seja, no finde A, só posso comer minhas habituais 1300 kcal por dia. Se me comportar e conseguir ficar dentro dessa meta, no finde B posso comer 1900 kcal por dia, o que já me permite fazer uma refeição completa (com vinho e sobremesa) por dia, sem culpa. Vamos ver se assim vai!

O ruim é que só vou poder aplicar direitinho esse esquema a partir de julho, pois junho vai ser um mês bem sui generis. Dia 1º é meu aniversário e o feriado todo vai ser uma Ocasião Especial, o que já estava planejado desde sempre. Então, no fim de semana do dia 25/05 - que seria o fim de semana A -, até vou tentar me manter dentro da meta das 1300 kcal, mas de todo modo o fim de semana seguinte será 100% livre.

A mesma coisa depois: do dia 15 a 24 de junho estarei de férias e viajando pelo sertão do Nordeste, então esses dias serão totalmente livres também. Mas tentarei com todas as forças me comportar no finde B, do dia 8 de junho, até pra poder chegar no Nordeste em condições de usar biquíni sem (muita) vergonha. :p


Como foi: 6º fim de semana, Fase 1

Vamos a mais um fim de semana de jacação e planos frustrados...

Sexta

Sexta não era para contar com um dia de fim de semana, com limite de calorias aumentado, pois já tinha usado as calorias extras na segunda-feira. Então, durante o dia, me comportei direitinho, seguindo o cardápio light da semana. O problema é que, de noite, eu tinha a festa de aniversário de um amigo meu e não podia deixar de ir, muito menos por causa de dieta...Por isso, decidi que ia, mas ia me controlar, e diminuí um pouco o lanche para poder tomar uma taça de vinho na festa. Beleza.

Só que cometi o erro fatal de ir fazer compras logo antes da festa. Não sei vocês, mas a exposição a milhões de comidas gostosas se oferecendo pra mim nas prateleiras do supermercado sempre atiça meus pensamentos gordos e me deixa cheia de desejos reprimidos - especialmente se estou fazendo compras justamente na hora do jantar, depois de ter feito só um lanche reduzido. Além de ter comprado várias coisas desnecessárias, por puro olho, cheguei na festa morrendo de fome e louca de vontade de comer coisas gostosas.

A comida eram belisquetes árabes: quibe assado, charutinho de folha de uva, pão sírio e as pastinhas. Nem engordavam tanto, e ainda bem, porque comi que nem uma desesperada. haha Tomei ainda umas 3 taças de vinho, em vez de 1, e no final comi meio pedaço de torta...Eu sei que não era para ter comido, mas era simplesmente um dos melhores sabores de torta da melhor doceria de Brasília (Daniel Briandt <3). Não tinha como resistir. No final das contas, acabei consumindo 1770 kcal, em vez de 1300.

Sábado

Sábado já tinha uma certa jacação prevista, afinal eu almoçaria E jantaria fora de casa. É porque era o último fim de semana do Festival Brasil Sabor, e eu queria aproveitar e fazer a refeição grátis a que tinha direito.

O almoço foi no Empório da Mata, ótimo restaurante aqui pertinho de casa, com menu de arroz negro acompanhado de camarões flambados.  Era um prato razoavelmente light e ainda vinha uma miséria de comida, mas, como toda comida de restaurante, deve ter levado litros de óleo na preparação, então não deixou muito espaço para a janta, que seria bem mais calórica.

Menu Brasil Sabor do Empório da Mata:
Camarões na cachaça dourada e arroz negro


De noite, para minha refeição grátis, voltei no Café das Cinco, sobre o qual já falei aqui. Repeti a pizza, que de novo estava deliciosa, e o vinho Infinitus, mas dessa vez me contive e só bebi uma minigarrafa. Para compensar, decidi pedir a famosa torta de chocolate de sobremesa...

Resultado: nem tive coragem de contabilizar o tanto de calorias que consumi. :p

Domingo

Domingo, como sempre, foi dia de fazer comida gostosa e ficar em casa. Fiz um penne com molho vermelho de cogumelos, que nem ficou tão pesado assim - tanto que continuei comendo durante a semana. O problema é que comi muito e em seguida me entupi de chocolate. De novo, os culpados foram os Ferrero Eggs e o chocolate Bubbly.  Nunca consigo me controlar com eles por perto!

Já tinha chutado o balde no sábado, então continuei na mesma linha e nem anotei as calorias de domingo. Me arrependo amargamente. :/

Resultado

Engordei 700g no fim de semana, sendo que ainda não tinha nem me recuperado da jacação do fim de semana anterior! Com isso, fica bem claro que o que está atrapalhando minha dieta são os fins de semana. Vou ter que fazer alguma coisa a respeito, porque assim não dá.



sexta-feira, 24 de maio de 2013

Receita: Tomates Recheados

A receita de hoje é boa para quem não gosta muito de salada. Tem ingredientes parecidos, porém uma apresentação diferente e o principal: é muito mais gostosa! Eu usei como guarnição, justamente no lugar da salada, mas também pode ser servida como lanche ou jantinha (muito) light.


Tomates Recheados



Calorias: 43 kcal por porção 

Ingredientes para 4 porções:

4 tomates-caqui

- 1/2 pepino picado em cubinhos

- 1/2 cebola picadinha

- 1 colher de salsinha e cebolinha picadinhas (guarde algumas folhas inteiras para a decoração)

- 1 colher de chá de azeite

- 20g de mussarela light ralada 

- 2 colheres de sopa de parmesão ralado

- Sal, pimenta do reino e orégano seco a gosto

Modo de preparo:


1) Corte a tampa de cada tomate. Retire as sementes e a parte do meio com uma colherzinha. 

2) Coloque os tomates em cima de um prato com papel-toalha, com a parte aberta virada para baixo, e deixe escorrer a água. 

3) Pré-aqueça o forno. Em uma vasilha, misture todos os ingredientes, com exceção do parmesão, e use para rechear os tomates. Salpique o parmesão ralado por cima do recheio. 

4) Leve ao forno por cerca de 10 minutos ou até o queijo gratinar. Coloque uma folha de salsinha e um pedaço de cebolinha para decorar.

Está aí, é bem fácil de fazer e bem levinho, mas sem gosto de salada! Eu achei que ficou até com um gostinho de pizza. :P


Esqueci de tirar foto, mas os meus ficaram bem parecidos com essa imagem aí (só que sem tanto óleo!).

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Como foi: 6ª semana

Essa semana não teve muitas emoções. O cardápio foi o seguinte:

Cardápio



Café da manhã: 

- 1 torrada integral light Bauducco + 1/2 colher de sopa de geleia sem açúcar + 1 Actimel (165 kcal )

Almoço:

- Curry de carne com legumes + arroz branco (422 kcal)

- Sobremesa: iogurte grego Nestlé (113 kcal)

Lanche II: 

Barra de granola Native + Barra de frutas Nutry  (153 kcal)

Janta: 

- Omelete de shimeji, abobrinha e cream cheese + salada (358 kcal)

- Sobremesa: frutas secas (80 kcal)


Total: 1291 kcal 



Café da manhã

Como viajei no fim de semana anterior e cheguei em casa tarde, essa semana não fiz compras, então não pude comer minha tradicional ameixa de café da manhã. Substituí pela torrada, mais calórica um pouquinho, mas ainda bem light.

Almoço

Também não tive tempo de preparar nada, então peguei o curry e o arroz que já estavam prontos e era só descongelar. Esse curry já apareceu aqui antes. Logo que fiz não ficou muito bom; depois de congelar e descongelar, então, passou a ser ruim mesmo. haha Mas comi a semana toda mesmo assim, fazer o quê...

Janta

Foi a parte mais alegre da semana: normalmente não sou muito fã de omelete, mas esse ficou até gostosinho. Não sei se vou postar receita porque é só juntar os ingredientes, né? Veremos...A salada eu fiz à base de  pepino e broto de feijão, que era o que tinha na geladeira. Juntei com cenoura ralada, tomate-cereja e uma colher de milho. Até que não ficou ruim e ajudou a saciar, mais que saladas à base de folhas.



Quinta-feira

Quinta eu tinha um almoço marcado com o pessoal aqui do meu departamento, de novo no esquema do Festival Brasil Sabor (todos rumo à refeição grátis!), dessa vez no Oliver (no Setor de Clubes Sul). Eu não poderia comer além das minhas 1300 kcal, porque já tinha usado um dos meus dias de limite aumentado na segunda-feira e já tinha vários planos para o fim de semana, então o que fiz foi adaptar o cardápio para ficar dentro da meta. O menu do restaurante não era dos mais lights (bruschetta de tomate de entrada e depois pato no tucupi com risoto), mas não bebi nem comi sobremesa, então tudo ficou em 917 kcal. Valeu super a pena; o pato estava MUITO bom e com uma aparência bem melhor do que na foto do site.


Menu do Oliver: Risoto de jambu com pato no tucupi

Para não passar do limite, lanchei só uma barrinha de granola e, à noite, comi só a salada, sem a omelete. Deu certo: fechei o dia com 1216 calorias. 

Resultados

Como não tive coragem de me pesar depois que voltei da viagem, não sei quanto tinha engordado, mas na sexta-feira de manhã já estava quase com o mesmo peso de antes de viajar. Não avancei na dieta, mas pelo menos não demorou muito para me recuperar da jacação do Dia das Mães. Tô no lucro. :)


quarta-feira, 22 de maio de 2013

Avaliação: 1 mês de dieta



No dia 9 de maio, a dieta fez um mês de aniversário. Depois de tantas idas e vindas na balança, achei que seria um bom momento para fazer uma avaliação geral de como a dieta está indo.

Bom, logo de cara eu perdi um 1,5 kg com o dia de desintoxicação e, embora o fato de eu não ter recuperado esse peso logo em seguida seja um mérito da dieta de controle de calorias, não vou considerar esse emagrecimento como parte do mês, afinal isso foi outra fase do regime.

Portanto, com a dieta propriamente dita, perdi ao todo 2,3 kg ao longo do mês. Não é um resultado maravilhoso, mas acho bastante razoável e consistente com a proposta da dieta, que é ser de longo prazo e não muito radical. Inclusive, quando estava explicando como seria a Fase 1, comentei que provavelmente só perderia 500g por semana, apesar de a previsão ser de perder 1 kg, porque meu metabolismo é lento e já é está acostumado a dietas. Considerando, então, que eu cometi deslizes quase toda semana, o resultado passa a ser ótimo. :p

Depois, esse mês não foi tão sacrificante assim; é algo que realmente dá para manter. Ou seja, se eu me mantiver firme e forte, pode ser que em mais 4 meses eu chegue ao peso que quero. É bastante tempo, mas, se parar pra pensar, eu já estou há uns 4 anos entrando e saindo de dietas, e o resultado final é sempre engordar mais. Então, 4 meses de sacrifício leve estão valendo. 

Uma coisa importante que percebi também - e com a ajuda do blog, que me obriga a relatar como está sendo a minha alimentação - foi que, se perdi pouco peso, foi por culpa dos meus deslizes, pois, sempre que segui a dieta direitinho, emagreci. Isso me faz pensar se, nesse tempo todo em que fiquei culpando as dietas, a culpa não era mesmo minha! haha


terça-feira, 21 de maio de 2013

Como foi: Fase 1, 5º fim de semana

Estou atrasadíssima no "Como foi", porque demorei séculos para escrever o post mais longo do universo, então vou falar hoje do fim de semana retrasado, que foi Dia das Mães. 

Originalmente esse finde era para ter sido uma Ocasião Especial, ou seja, um tempo de plena felicidade e alegria sem controle de calorias, pois viajei para o Rio para visitar a minha mãe e a minha sogra. Se viagem já é jacação certa, imagina então com dois almoços de Dia das Mães! Mas, porém, contudo, só posso ter uma ocasião especial por mês e dia 1º de junho é meu aniversário, então prefiro que o tempo de plena felicidade seja no "meu" dia. A proposta, portanto, era me conter lá no Rio, tentando ficar dentro do meu limite de calorias para fim de semana, ou seja, 1600 kcal. 

Nem preciso dizer que não deu certo, né?

Sexta

Para poder aproveitar mais a viagem, tinha decidido economizar as calorias de sexta, consumindo só até 1300 kcal. Tinha um almoço marcado com amiguinhos, então escolhi um lugar com um menu relativamente light: o Taypá (QI 17 do Lago Sul), ainda no esquema do Festival Sabor Brasil.

Até aí tudo muito bem, mas, para a minha suprema infelicidade, fui informada na quinta à noite que ia ter uma festinha de aniversário aqui no meu trabalho, uma hora antes do almoço. Aff. Não podia desmarcar o almoço nem fugir da festinha, então fiquei numa situação complexa pra me manter na dieta.

É difícil resistir aos petiscos dessas festinhas, primeiro porque sempre compram uns salgadinhos e docinhos MUITO bons, não aquela porcaria habitual (haha, esnobe); segundo porque todo mundo fica perguntando por que você não está comendo, e oferecendo coisas, e insistindo, e dizendo que só um pouco não faz mal...heh. Então, considerando as circunstâncias, até que não foi um estrago completo: comi 3 salgadinhos, 3 docinhos, meia fatia de torta, depois fui para o meu almoço. Acabei consumindo na faixa das 1600 kcal, o que seria um grande feito se a proposta não fosse fazer 1300...

Menu Brasil Sabor no Taypá:
Filet de salmão ao molho de limão e alho com trigoto


Sábado

A programação era almoçar com amigas e jantar com os meus sogros. O jantar ia ser desastre, não tinha jeito: fomos comer no Porcão Rio's, e é meio que impossível se manter na dieta indo em rodízio, ainda mais de carne. Depois, aquilo custava os olhos da cara e vai contra a minha filosofia de vida pagar carésimo para ficar me restringindo. hehe

Então, a estratégia de redução de danos agiu mais na hora do almoço: pedi um peixe com legumes e saí incólume. O ruim é que depois fiquei com muita vontade de comer doce e comprei um pacotinho de Rafaello (aquele bombom branco da Ferrero, AMO) para dividir com as amigas, mas elas não quiseram nenhum! Aí fiquei lá, sozinha e compulsiva com um pacote de bombom na mão. haha Comi quase tudo, óbvio.

Nem tem como contar as infinitas calorias que consumi no rodízio, mas estimo que o total do dia tenha sido umas 2900 kcal. 



Domingo

Eu podia ter me controlado, mas acho que fui naquela onda "ah, já chutei o balde ontem, agora já era"...Aí, além do almoço engordativo (vários pratos levados por diferentes membros da família), ainda me entupi de calorias desnecessárias com pistaches, castanhas e amendoins. Acho que, ao todo, foram umas 2000 kcal.

Segunda

Sim, esse fim de semana inclui segunda-feira! haha Tirei uma folga no trabalho para poder aproveitar um dia útil no Rio. Queria muito andar pelo Saara e comprar várias coisas de que estava precisando e só acho lá. Acho que o centro da cidade é do que mais sinto falta aqui em Brasília, que não tem nada muito parecido (que eu saiba). E todo mundo acha que o que faz falta é a praia...Sabem de nada! :P

Enfim, Centrão do Rio = idas obrigatórias ao melhor pastel do mundo (uma pastelaria tosquíssima na Rua dos Andradas), à Confeitaria Colombo e à Pavelka. Me surpreendi que as comidas, afinal, não eram tão calóricas quanto eu pensava. Jantei fora também, com vinho, e mesmo assim fiquei em 1600 kcal. Ruim, mas, considerando que fiquei umas 5 horas andando sem parar e carregando peso, acho que foi o menor dos males.

Resultado

Sinceramente, nem quis olhar a balança! hahah Eu até pensei em fazer uma dia de desintoxicação, mas, como já farei uma em menos de 15 dias, achei melhor não. Além disso, na terça-feira eu teria série nova na academia, e série nova em jejum não dá. Vou ter que eliminar esse peso a mais normalmente, ou seja, esse fim de semana provavelmente atrasou umas duas semanas da minha dieta.:/





domingo, 19 de maio de 2013

Receita: Pizza light

Finalmente, depois de muitas promessas, vou postar a receita das pizzas lights!

Na verdade, não é bem receita, né, porque a pizza já vem semipronta; é só adicionar os ingredientes. Então, é melhor encarar como uma espécie de dica de combinações gostosas de ingredientes que não ficam muito calóricas.

A massa que eu uso é a de pizza de frigideira da Massa Leve. Acho bem gostosinha, fica parecendo aquelas pizzas fininhas e crocantes de restaurante. É ridiculamente fácil de fazer - bastam 3 minutos em uma frigideira - e não precisa de nenhuma gordura; não gruda mesmo. Tem outras opções também, inclusive a versão integral dessa mesma massa, que supostamente é ainda mais gostosa, mas nunca vi para vender e as outras que experimentei (Germana, Rap10, massa de pastel...) não ficaram tão boas ou não eram tão lights ou não eram tão fáceis de fazer.

O molho de tomate mais recomendado é o caseiro, pois é mais gostoso e mais light. Porém, dá um trabalho do cão de fazer! Quando estou sem tempo, faço um molho à base de tomate pelati e, quando nem isso dá para fazer, vou de molho de tomate pronto da Barilla, o único de que gosto, de preferência o Arrabiata, que é apimentadinho.

O queijo é bom usar ralado, pois derrete mais fácil e rende MUITO mais que fatiado, o que é importante, afinal ele é a parte mais gorda da pizza e tem que cobrir tudo.

Agora, vamos aos recheios, dos mais lights aos mais gordos:


Pizza light de abobrinha 


Calorias: 164 kcal por porção 

Ingredientes para 1 porção:

- 1 disco de massa de pizza de frigideira Massa Leve

- 3 colheres de sopa de molho de tomate

- 1/2 abobrinha

- 10g de queijo parmesão ralado na hora

- 1/2 raminho de alecrim

- Sal, orégano e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:


1) Espalhe o molho de tomate sobre a massa. 

2) Fatie a abobrinha em discos bem fininhos, usando um fatiador de legumes. Se ficar grosso, vai ficar cru e não fica muito bom.

3) Cubra toda a massa com os discos de abobrinha, de modo a não deixar nenhum espaço vazio. Não precisa economizar na abobrinha! Ela é a parte mais light e que vai dar sustância para a pizza.

4) Tempere com sal e pimenta do reino.

5) Espalhe o queijo ralado por cima da abobrinha. É melhor por cima que por baixo, pois, assim, fica mais apetitoso e a gordura do queijo vai para a abobrinha, dispensando o uso de azeite.

6) Espalhe os raminhos de alecrim e, por cima, o orégano seco.

7) Coloque a pizza na frigideira, em fogo baixo, e tampe. Espere até o queijo estar bem derretido e sirva.



Tem apenas 164 kcal, o que é quase nada, então dá pra comer 2 e ficar bem satisfeito!


Pizza light de marguerita 


Calorias: 252 kcal por porção 

Ingredientes para 1 porção:

1 disco de massa de pizza de frigideira Massa Leve

- 3 colheres de sopa de molho de tomate

- 20g de mussarela light ralada

- 1/2 tomate cortado em rodelas finas

- 1/2 dente de alho em lâminas

- 1 colher de sopa de queijo parmesão ralado

- 1/2 raminho de manjericão

- Sal, orégano seco e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:


1) Espalhe o molho de tomate e a mussarela sobre a massa. 

2) Disponha os tomates em círculos, alternando com as lâminas de alho. Tempere com sal e pimenta do reino.

3) Espalhe o queijo parmesão, o orégano e o manjericão por cima dos tomates, nessa ordem.

4) Coloque a pizza na frigideira, em fogo baixo, e tampe. Espere até o queijo estar bem derretido e sirva.





Pizza light de marguerita especial


Calorias: 300 kcal por porção 

Ingredientes para 1 porção:

1 disco de massa de pizza de frigideira Massa Leve

- 3 colheres de sopa de molho de tomate

- 60g de burrata de búfala

- 3 tomates-cereja cortados ao meio

- 5 folhas de basilicão (manjericão grandão)

- Flor de sal e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:


1) Espalhe o molho de tomate sobre a massa. 

2) Intercale os pedaços de burrata e tomate cerejaTempere com flor de sal e pimenta do reino.

3) Coloque a pizza na frigideira, em fogo baixo, e tampe. Espere até o queijo estar bem derretido e tire do fogo.

4) Adicione o basilicão. Se ele for ao fogo, vai queimar e não fica tão bonito e gostoso.


A burrata é um tipo de especial de mussarela, firme por fora e cremosa por dentro. É um dos meus queijos preferidos! Combinei com ingredientes simples para ressaltar o sabor dela, mas acho que ela é melhor aproveitada em salada. Ainda assim, essa pizza ficou uma delícia.

Pizza light de lombinho canadense


Calorias: 415 kcal por porção 

Ingredientes para 1 porção:

1 disco de massa de pizza de frigideira Massa Leve

- 3 colheres de sopa de molho de tomate

- 20g de mussarela de búfala ralada

- 3 fatias de lombinho canadense

- 1/2 colher de sopa de requeijão cremoso

- 1 colher de sopa de parmesão ralado

- 5 pimentas biquinho em conserva

- 1 raminho de endro

- Sal, pimenta do reino e semente de erva doce a gosto

Modo de preparo:


1) Espalhe o molho de tomate e a mussarela de búfala sobre a massa. 

2) Disponha as fatias de lombinho e, por cima, bolotinhas de requeijão. Intercale as pimentas biquinho e tempere com sal e pimenta do reino

3) Espalhe o parmesão e as sementes de erva-doce. 

4) Coloque a pizza na frigideira, em fogo baixo, e tampe. Espere até o queijo estar bem derretido e tire do fogo.

5) Quebre o ramo de endro em três e use para finalizar a pizza.



Essa pizza é mais gordinha, mas, como leva mais ingredientes, sacia mais que as outras. Depois, essa combinação de ingredientes é uma das mais gostosas!