terça-feira, 30 de abril de 2013

Avaliação: Dieta e Saúde




Não sei se alguém reparou, mas, em alguns posts da série "Como foi" do blog, eu coloquei, além das calorias dos alimentos, também a quantidade de pontos correspondentes. Isso porque, ao mesmo tempo em que eu estava seguindo o meu método, estava também testando a dieta de pontos do Dieta e Saúde

Nesse momento da dieta (Fase 1), o importante é o controle das calorias/nutrientes ingeridos e nada é proibido, então meu método é compatível com vários tipos de dieta, inclusive a dos pontos. Bem na época em que comecei a Fase 1, estava rolando uma "promoção" do Dieta e Saúde, em que você podia experimentar o programa deles por 15 dias e, caso não gostasse, receberia o dinheiro de volta. Aí resolvi entrar para testar.

Eu sempre tive curiosidade de saber como era esse regime, porque recebia QUILOS de spam deles, sempre me convidando a começar a dieta, mas eles não dão nenhuma informação sobre o programa. Ou seja, os bonitos querem que você pague primeiro para só depois saber como vai ser. Aí não, né? Tem várias dietas que, só de bater o olho, já sei que ou não vão funcionar ou eu não vou conseguir seguir. Então, pra mim está fora de cogitação assinar programa de emagrecimento assim, às cegas. Imagino que outras pessoas tenham a mesma posição e, por isso, resolvi prestar aqui um serviço de utilidade pública (hehe) e explicar como funciona o programa deles, além de falar sobre a minha experiência com o site.

Bom, como já falei, o programa é baseado em uma dieta de pontos, em que cada pessoa tem uma quantidade de pontos a ser consumida por dia e a cada alimento é atribuída uma quantidade determinada de pontos. Isso acho que todo mundo já sabe. :P

Em muitos programas, os pontos são apenas outra maneira de chamar as calorias (como no caso do Emagrecendo), do tipo: cada ponto equivale a 3 calorias. Eu acho isso um pouco retardado. Por que não contam logo as calorias de uma vez? Fico com uma leve impressão de que estão querendo me fazer de trouxa, como se só convertessem para pontos para que a pessoa pense que não pode fazer a contagem sozinha, buscando na internet.

Pois bem, o Dieta e Saúde considera não apenas as calorias, mas também a quantidade de gorduras em cada alimento para a atribuição de pontos. Assim, um brigadeiro e uma pera, apesar de terem quantidades praticamente iguais de calorias, têm pontuação diferente nesse sistema, o que considerei um fator positivo, a princípio. 

Mas é meio que só isso. Acho que não encontrei muitas informações sobre o programa no site porque realmente não tinha muito o que falar. Você se cadastra, preenche um questionariozinho e eles te dão um limite diário de pontos, que, no meu caso, foi de 30 (equivale mais ou menos a umas 1200 kcal), junto com  o tempo que vai levar até atingir a sua meta (no meu caso, 3 meses, ou seja, 1kg por semana). Você vai postando tudo o que come no site e atualiza seu peso uma vez por semana. Não tem praticamente nenhuma outra orientação.

Outro ponto negativo é que o sistema misto de calorias + gordura gera algumas pontuações sem noção. Por exemplo, uma colher de sopa de manteiga tem 9 pontos, ou seja, 30% da sua alimentação do dia inteiro! Eu entendo que eles queiram desencorajar o consumo de manteiga, mas aí já se torna proibitivo. Se o mote do programa é justamente que se pode comer de tudo, desde que com comedimento, isso fica complicado. Afinal, se for assim, eu JAMAIS poderei comer uma torta de limão, que nem é dos doces mais gordos. Aliás, tem várias discrepâncias do tipo: se você somar o total de pontos por porção dos ingredientes da torta , dá um número escabroso, tipo 25. Mas, se olhar na lista de alimentos deles, milagrosamente a torta passa a valer apenas 9 pontos. Como assim?

De todo modo, até acredito que funcione se for seguido direitinho, mas não vejo por que pagar para isso. Tem vários sites por aí (o próprio Emagrecendo, meu amado Fat Secret - apesar do nome ridículo - etc.) que fazem a mesma coisa de graça, qual seja, facilitar o controle de calorias.

Claro que eles têm algumas funcionalidades para tentar justificar o gasto, mas não me convenceram.

Vejamos:

-> Banco com mais de 10.000 alimentos pontuados

Até que eles têm bastante coisa cadastrada mesmo e o principal: permitem que você adicione seus alimentos e receitas. Ainda assim, é muito mais fácil contabilizar por calorias que por pontos, pois aí se tem a internet como fonte de informação e não se depende só de um banco de dados, por melhor que seja - o site pode até ter mais de 10.000 alimentos pontuados, mas a internet tem INFINITOS.

-> Ferramentas para registrar as refeições que poupam o seu tempo e facilitam a opção por alimentos mais saudáveis (Contador de Pontos e de Exercícios)

De novo, até que as ferramentas são legaizinhas, mas tem de graça por aí. Inclusive acho o app Contador de Calorias MUITO mais prático do que as ferramentas do site e do que o app do Dieta e Saúde.

-> Sugestão diária de cardápios enviada por e-mail

Eu não faço muita questão, mas poderia ser interessante para facilitar o planejamento das refeições. Poderia, mas não é. Primeiro, porque, não sei vocês, mas para que eu siga um cardápio amanhã, eu não posso receber a sugestão hoje. Tenho que comprar as coisas, preparar, embalar para levar pro trabalho etc.


Segundo, mesmo que eu tivesse uma dispensa infinita com todos os itens necessários para seguir as sugestões, ainda assim daria no saco fazer um cardápio diferente todo dia. Eu em geral faço um cardápio para a semana toda e só mudo uma coisinha ou outra, afinal tenho mais o que fazer além de inventar comidas novas todo dia. :P

Terceiro e mais importante: os cardápios são ridículos! Vou colocar aqui um exemplo, que foi o primeiro cardápio que me mandaram. Eu estava cheia de boa vontade para seguir, mas broxei de cara quando vi:

Sugestão de cardápio do Dieta e Saúde:






Gente, como assim o almoço é arroz, feijão e ovo? E a janta, muito mais nutritiva que o almoço? O resto do cardápio é razoável até, mas essa discrepância já me fez desistir dele. Depois, as sugestões vão se repetindo. Enfim, prefiro mil vezes eu mesma programar minhas refeições.

-> Relatórios que mostram a qualidade da sua alimentação (proporção de carboidratos, gorduras e proteínas de suas refeições) e a evolução do seu peso

Isso seria legal se funcionasse, mas, não sei por quê, sempre dava algum erro na hora em que eu ia ver. Parece que eles consideram apenas a semana atual, de segunda-feira em diante. Aí, se você vai olhar na terça, por exemplo, para ver como sua dieta está indo em termos nutricionais, só aparecem as informações de um dia. Por que não fazer um acumulado do mês todo ou permitir ver as semanas anteriores?

-> Equipe Nutricional e Consultoria de Fitness

Pra mim, esse é o ponto nevrálgico de qualquer programa pago, aquilo que faz a diferença. No caso do Dieta e Saúde, porém, esse apoio profissional não é individual. Tem várias matérias e videocasts dos nutricionistas com dicas e tudo mais, mas, para ter acesso individual a eles, é preciso ter o plano VIP e pagar mais.

A mesma coisa acontece na parte de fitness: tem dicas e sugestões de exercícios para quem quiser ler, mas isso eu passo porque já vou à academia. Para ter um personal trainer (nem sei como isso funcionaria hehe), é preciso estar no plano VIP também.

-> Blog e comunidade que ajudam na motivação

Essa é a melhor parte do Dieta e Saúde, na minha opinião. A comunidade lá é bastante ativa; o pessoal realmente usa o blog interno e um fica comentando no blog do outro. As pessoas em geral são fofas e prestativas e tem sempre alguma coisa acontecendo, como os "desafios", em que um grupinho se junta na árdua tarefa de, por exemplo, passar o fim de semana sem meter o pé na jaca (é o Programa Jaca Zero hahaha). 

Fiquei com peninha de sair porque, mesmo só com 15 dias, me envolvi bem lá na comunidade (impossível falar isso e não pensar em favela! haha). Mas, saí. Acho que, para eu pagar pelo programa, teria que ter alguma coisa essencial que já não esteja disponível na internet ou, de preferência, atendimento individualizado por profissionais. Por exemplo, uma coisa de que sinto falta é um profissional para analisar o que estou fazendo errado quando começo a parar de perder peso sem nenhuma explicação e dar dicas sobre o que pode ser feito para reverter a situação. Parece que no Emagrecendo tem isso; de repente vou lá testar, quando começar o efeito platô.

Mas quero deixar claro que isso é o que vale para o meu caso. Acho que o Dieta e Saúde pode valer a pena, sim, para quem não tem muita experiência com dieta e quer começar ou mesmo pra quem tem preguiça de ficar indo atrás de informação pelo mundo afora. Lá, está tudo concentrado e de fácil acesso: contador de pontos, de exercícios, informações sobre alimentos e atividades físicas, além de matérias sobre beleza, saúde e mais um monte de coisa. Mas, se for pra assinar, acho melhor pegar logo o plano VIP. É só R$15,00 a mais e pode fazer a diferença. Me arrependi de não ter entrado logo nesse pra testar.

Bom, vou fazer então uma listinha de prós e contras para resumir:



Se fosse para dar uma nota, acho que o Dieta e Saúde levaria um 6.




Como foi: Fase 1, segunda semana, parte II (a tristeza)

"Tristeza não tem fim; felicidade, sim."

*Dramática* hehe

Bom, como já se pode perceber pela epígrafe, abandonei o bom caminho que estava trilhando durante a semana e jaquei no sábado e no domingo. 

Sexta


Embora eu considere sexta como fim de semana e tradicionalmente seja um dia de limite aumentado de calorias, nessa semana eu decidi fazer um dia de dieta normal, pois na segunda-feira eu teria um curso de culinária (de cordeiro!:D~), onde comemos os pratos que fazemos, então achei melhor guardar as calorias  extras de sexta para gastar nessa nobre ocasião.

Sendo assim, fui almoçar em um restaurante vegetariano, o Boa Saúde, aqui de Brasília. Péssima escolha. :/ Além de o lugar ser todo feioso, com aquelas mesonas comunitárias da depressão, a comida era ruinzinha e o pior, superengordativa. Não sei por que as pessoas, inclusive eu, fazem essa relação entre comida vegetariana e comida light. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. 

Fato é que um almocinho superchinfrim e insatisfatório acabou rendendo 968 kcal. Mas tudo bem. Fiz um lanchinho light e jantei minhas minipizzas de berinjela salvadoras de dieta e acabei o dia com 1375 kcal, passando levemente do limite de 1300. Para uma sexta-feira, considerei uma vitória.



Sábado


Sábado é dia de sair, então me programei para fazer um almoço light com sanduíche de pão integral, de modo que à noite eu pudesse comer mais à vontade e beber. Até aí, ok, mas lá pelo finzinho da tarde comecei a pensar "ah, hoje é dia livre" e ataquei uns chocolates que restaram da Páscoa (ainda tem MUITOS). Nem estavam muito gostosos e meia dúzia de bombons juntaram 578 kcal. :/ Ou seja, o almocinho light não adiantou nada!

Mas o problema mesmo foi à noite. Resolvi ir num barzinho (Santa Fé) que abriu perto de casa. Dá pra ir andando, o que é uma incrível raridade aqui em Brasília, e resolvi comemorar bebendo, haha, porque eu e meu namorado nunca podemos beber ao mesmo tempo, afinal alguém tem que voltar dirigindo.

Felizmente, a garçonete esqueceu de trazer a entrada que pedimos e comi "só" uma pizza. Nem foi tanto: me contentei com 3 pedaços, quando normalmente como 4, mais dois drinks. Só aí já foram 1300 kcal. Pra finalizar, alegrinha dos drinks, ainda pedi uma panqueca de doce de leite argentino com sorvete, esquecendo do meu mantra: "Se beber, não coma sobremesa. Se comer sobremesa, não beba".

Resultado final do dia: 2733 kcal, apenas mais de 1000 kcal além do meu limite de 1600. D:

Domingo


Domingo, por sua vez, é dia de comilança caseira. Como eu não ia fazer sobremesa, podia fazer uma comida mais gordinha, mas, ainda assim, desisti de fazer o risoto de costelinha que eu queria e me contentei com um filé asiático (com shoyu, gengibre e espinafre), bem mais saudável. A gordice ficou por conta do acompanhamento, que foi batata rosti, mas ainda assim nada desesperador. Ao todo, o almoço contou 610 kcal, tranquilo.

Justamente por isso, decidi que poderia comer um docinho, afinal. Já viu, né? haha Comi uma "sobremesa" sem sentido que estava desejando há maior tempão: biscoito de leite maltado com requeijão e goiabada cascão cremosa. 878 kcal, mais que o almoço! 

Aí juntou o jantar também nada light: 2 mistos quentes melhores do universo (meu namorado que faz; é a única comida que ele sabe fazer, mas é realmente o melhor misto quente do universo! haha) e ainda tomei Toddy, com leite integral e açúcar. Engraçado como isso me parece uma superchutação de balde, mas, afinal, Toddy feito com leite integral e açúcar é um alimento banal, que milhões de pessoas tomam todo dia e não morrem (ou engordam) por isso. E agora eu preciso de uma ocasião especial para poder tomar e, mesmo assim, depois fico culpada. Ai, essas tristezas cotidianas de dietantes...

Enfim, saldo final do dia: 2335 kcal. 

Na segunda-feira, fui me pesar e veio a depressão: ganhei exatamente 1kg nesse fim de semana.:(

Acabou que meu curso de cordeiro foi cancelado, então pelo menos isso compensou parcialmente a jacação, mas agora retrocedi no mínimo uma semana de dieta. Que ódio!




Ok, mas chega de lamúria. Odeio esses posts lamuriosos e uma das razões para eu ter o blog é NÃO escrevê-los! hehe Vou voltar a me comportar.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Receita: Minipizza de berinjela

Essa receita eu peguei do Oba Gastronomia, que tem muitas receitas MUITO boas! Não é um site de receitas lights, aliás, a maioria é bem gordinha, com bastante manteiga, azeite e creme de leite, mas eu prefiro mil vezes catar receitas lights em um site que tem sempre receitas boas a fuçar um site de receitas lights em que tudo sempre fica ruim. 

Além disso, lá é tudo bem explicadinho, inclusive com técnicas culinárias para preparar o alimento da melhor maneira possível, que nem sempre encontramos por aí. Então, vou me abster de repassar a receita com as minhas palavras e vou basicamente só copiar e colar a receita do jeito que está lá, só acrescentando as quantidades, que não foram informadas no original: 



Minipizzas de berinjela





Calorias: 156 kcal por porção (cerca de 5 minipizzas)

Ingredientes para 4 porções:

- 2 berinjelas cortadas em fatias uniformes de berinjela

- 4 fatias (80g) de queijo muzzarela picado ou ralado

- 4 colheres de sopa de queijo parmesão ralado

- 20 tomates cerejas cortados ao meio

- 4 colheres de chá de azeite de oliva extravirgem

- Sal e pimenta-do-reino

- Orégano seco

- Folhas de manjericão para guarnecer


Modo de preparo:

1) Salgue as fatias de berinjela e coloque em pé em uma grade para escorrer. Após 30 minutos, lave em água corrente.

* A este processo, damos o nome Dégorger. A palavra vem do francês (escoar, limpar). Dégorger é utilizado para retirar sabores fortes de alimentos. Vegetais são fatiados, levemente salgados e deixados de lado por algum tempo. No caso da berinjela, retira seu amargor. Este processo também retira o excesso de líquido do alimento.

2) Ferva água em uma panela, coloque as fatias de berinjela e cozinhe por 3 minutos. Retire e deixe esfriar.

3) Pré-aqueça o forno. Unte uma forma. disponha as fatias de berinjela e tempere-as com sal e pimenta. Monte as minipizzas colocando o quejo muzzarela, o parmesão e o tomate por cima. Polvilhe o orégano e leve para assar por 5 minutos.
4) Retire do forno, regue com azeite de oliva e guarneça com o manjericão. Sirva quente.



As minipizzas preparadas pelo Orlando Baumel, dono do Oba, ficaram muito mais bonitas que as minhas, mas, como eles não deixam copiar a imagem, vocês vão ter que ficar com a minha mesmo:



Fica bem gostosinho e é superfácil de fazer. :) Dá pra substituir por outros queijos, pra ficar mais light e poder comer mais, ou trocar a berinjela por abobrinha, pra quem não gosta.


quinta-feira, 25 de abril de 2013

Como foi: Fase 1, segunda semana, parte I (a alegria)

Voltei! :D

Depois dos excessos do primeiro fim de semana, a minha segunda semana de controle de calorias tomou um bom rumo a partir de terça-feira. Durante 3 dias, segui o seguinte cardápio, com pequenas variações:

Cardápio



Café da manhã: 

1 ameixa + 1 Actimel (108 kcal )

Almoço:

Curry de carne com legumes e arroz (422 kcal)

Lanche I: 

1 Iogurte Grego Nestlé (110 kcal)

Lanche II: 

Barra de frutas de laranja Nutry + Barra de gergelim e linhaça Levittà (110 kcal)

Janta: 

Minipizzas de berinjela (156 kcal)

Lanche III:

Picolé de iogurte desnatado Corpus  (40 kcal)

Total: 946 kcal 


Fiquei MUITO abaixo da minha meta diária, de 1300 kcal, com mínimo de 1100 kcal, mas me senti bem alimentada. A partir dessa semana, estou podendo acordar mais tarde, então não preciso do lanche do manhã, o que já corta pelo menos umas 100 kcal do dia. Porém, o principal responsável por esse milagre foi o Curry do almoço, que ficou superlight.

Na verdade, isso não foi muito planejado, não. Mais uma vez, tive uma surpresa quando estava acabando de fazer a comida, mas, nesse caso, foi para o bem: a receita rendeu uma quantidade de porções bem maior do que deveria, o que significa que cada porção ficou com muito menos calorias do que o programado. O curry não ficou muito gostoso - acho que foi porque troquei as batatas por brócolis, hehehe, o que eu esperava? -, por isso, nem vou postar a receita, mas estava perfeitamente comível e era acompanhado por 1 xícara de arroz, o que me deixou bastante satisfeita.

Além disso, o lanche I, na verdade, foi a sobremesa. Em alguns dias, inclusive, eu troquei o iogurte grego por um pedacinho de chocolate! hehe Eu sei que a ideia desses vários lanches não é essa, que é para espaçar as refeições, mas eu acho que meu organismo não responde muito bem a isso, não. Prefiro comer direito de uma vez, ficar satisfeita e só sentir fome dali a 3 horas que comer um monte de comida de passarinho espalhada e ficar com fome o tempo todo. Acho que vou fazer uns testes e futuramente escrever um post sobre isso.

Mas voltemos ao cardápio. As minipizzas de berinjela foram o jantar mais light da história e achei MUITO gostosinhas! Depois vou postar a receita delas. Não enchem muito, mas como, novamente, o lanche III na verdade era a sobremesa da janta, tudo bem! haha, #ladra! O iogurte congelado ficava mais ou menos parecendo um picolé, tanto em aparência como em gosto (eu disse mais ou menos, heh) e o melhor: demorava bem mais a acabar e, não sei por que, me deixou muito mais saciada do que eu fico quando tomo normalmente.

Para "fazer" esse picolé de iogurte, eu simplesmente enfio o palito de picolé no potinho e ponho para congelar. Olha só como fica (abstraiam a foto porca):



E o resultado da semana bem comportada foi: - 1kg na balança! \o/

Contagem Regressiva: 6 kg perdidos, 9 to go!



Contando as calorias dos alimentos


Pode parecer óbvio, mas às vezes as pessoas me perguntam como faço para contar as calorias dos alimentos que consumo. Bom, existem basicamente duas maneiras:

1-      Olhando a embalagem, em caso de produtos industrializados;
2-      Consultando tabelas de calorias de alimentos na internet.


As informações fornecidas nas embalagens dos alimentos são a minha principal fonte de informação, pois servem tanto para as comidas industrializadas quanto para as refeições caseiras: é só ir consultando a quantidade de calorias de cada ingrediente utilizado na receita. O resultado da contagem fica bastante confiável, até porque uso uma balança digital de alimentos e colheres/xícaras medidoras para fazer as receitas.

Porém, alguns alimentos, como aqueles fatiados no supermercado e vendidos em bandejas, frutas e legumes, produtos importados etc. não têm as informações nutricionais, então tenho que recorrer às tabelas de calorias. Isso também se aplica a comida de restaurante, que é sempre o mais complicado de medir.

Tem gente que esnoba minha dieta (hmpf! hehe) dizendo justamente que não tem como saber quantas calorias tem em um prato de restaurante, que as tabelas de calorias consideram o alimento in natura ou grelhado, que não tenho como adivinhar os ingredientes utilizados em todos os pratos. Mas, gente, como vocês acham que os nutricionistas calculam as calorias? É exatamente assim!

Antes eu até achava que eles tinham alguma maneira de contar as calorias de cada prato, alguma maneira mais exata e científica que tabelas e embalagens, mas, logo antes de começar a dieta, perguntei a uma  amiga minha nutricionista e ela falou que é assim mesmo que se conta, que eles não aprendem a fazer eles mesmos a contagem na faculdade. Então, pronto!

Enfim, às vezes uma tabela está diferente da outra, principalmente quando se trata de medir as calorias de uma receita já pronta, tipo: espaguete à carbonara. Como já estou careca de pesquisar esse tipo de informação, tenho algumas dicas:

1- Pesquise em sites confiáveis. Meio óbvio, né? Para disfarçar essa dica inútil, vou colocar aqui alguns sites que costumo usar (hehe):


2- Procure utilizar medidas universais. Assim, o que é uma porção de arroz? O que é uma unidade de brigadeiro? Se for aqueles de festa miserenta, é uma coisa; se for aquele de sobremesa de restaurante, é outra.  Prefiro saber por grama/mililitro ou por algum tipo de medida (colher, xícara, concha).

3- Em caso de pratos prontos, dê uma olhada nas calorias dos ingredientes mais engordativos. No caso do carbonara, por exemplo, se seu prato veio cheio de bacon, que tem 135 kcal por fatia, é meio suspeito que o prato todo tenha só 250 kcal, né?

4- Ainda em caso de pratos prontos, pesquise em mais de um site e veja o resultado que mais se repete. Em caso de dúvida, em geral acredito no que diz que tem mais calorias, porque a realidade é dura. hehe

5- Em caso de comida de restaurante, eu sempre adiciono pelo menos uma colher de azeite a todos os pratos, pois eles sempre usam alguma gordura. Em geral, mesmo em restaurantes lights ou quando a comida é grelhada, há adição de gordura, afinal o principal interesse do restaurante é que a comida esteja bonita e gostosa e, sinto informar, é a gordura que cumpre essas funções – ou pelo menos ajuda muito.

Ultimamente tenho tido poucos problemas para contar as calorias, devido ao já mencionado maravilhoso app Contador de Calorias, que tem quase todos os alimentos em medidas universais e, quando não tem, eu adiciono, o que facilita muito. Depois, já decorei as calorias dos alimentos que mais consumo e tenho uma ideia razoável de vários outros, o que é fundamental para eu conseguir me comportar, afinal, nem sempre podemos planejar com antecedência o que vamos comer. E, se a ideia é que haja uma reeducação alimentar, acho que esse hábito de consultar as calorias dos alimentos é muito mais funcional que meramente seguir um cardápio pré-fixado.

Enfim, eventualmente pode ter alguns erros, sim, mas é a vida. Até os nutricionistas erram; não é a precisão científica da contagem que vai fazer sua dieta dar certo ou errado. ;)


quinta-feira, 18 de abril de 2013

Como foi: Fase 1, Dias 3 e 4

Esses dias não foram um desastre como os anteriores, mas também não foram o ideal: consegui me manter (mais ou menos hehe) dentro do limite de calorias diário, mas essas calorias foram muito mal distribuídas, devido à falta de planejamento. Vejamos:

Domingo



Pra mim, domingo é dia de ficar em casa, enchendo a pança e fazendo nada. Tenho inclusive uma pequena tradição doméstica de fazer uma comida gostosa (de uma lista de receitas selecionadas que tenho no computador) e, depois, ir pra rede ler e cochilar. hehe Faço questão de manter esse ritual dominical e uma das coisas que mais me incomodam nas dietas restritivas é que elas impossibilitam esses domingos preguiçosos, agradáveis e gordinhos.

Então, mesmo tendo extrapolado minha cota na sexta e no sábado, decidi fazer minha comidinha de domingo, até porque já tinha comprado todos os ingredientes, bem carinhos, e não queria que eles estragassem. Me programei para ficar dentro da cota de 1300 kcal (ou 30 pontos), considerando que ainda ia ter que jantar: calculei bonitinho as calorias da refeição ANTES e fui preparar meu rondele de parma e queijo ao molho de mostarda.

O problema é que a receita que eu estava seguindo me sacaneou: em vez de dar 4 porções, deu 3, ou seja, a quantidade da calorias por porção cresceu do nada, e só percebi quando já estava tudo quase pronto.


Infame porção de rondele de 1134 kcal



Resultado:  apenas 1 porção do rondele tinha  1.134 kcal (ou 35 pontos!!!), ou seja, já não sobrava quase nada para lanches e janta. Sendo que, como vocês podem ver pela foto, essa porção não era o que eu chamaria de farta, então comi uma inteira mesmo.Também não ia comprometer meu almoço de domingo comendo uma quantidade miserenta de rondele. hehe

Pra compensar, jantei uma pera e acabei o dia com 1230 kcal (37 pontos).


Reeducação alimentar: você está fazendo isso errado [2].

Hahaha, acho que vou fazer um meme disso. Mas, no final das contas, deu certo: no dia seguinte já estava pesando 400g a menos. \o/


Segunda


Segunda comecei o dia com meu tradicional café da manhã de iogurte+frutas, superlight, mas esqueci de levar minha barra de cereal para o lanche da manhã na bolsa. Como estou fazendo um curso no trabalho, tem um intervalo e todos vão para a lanchonete (carinhosamente chamada de bichonete, hahaha, acho que porque tem muito gay aqui). Lá todos pedem cafezinho e lanches e, como sou totalmente influenciável, também pedi um café com leite e pão de queijo. Achei que não faria tão mal, e até não é uma coisa destruidora, mas depois descobri que um mísero pãozinho de queijo tem 149 kcal! Aff!

A situação piorou mesmo no almoço, de novo porque meu planejamento estava furado. Não estava a fim de cozinhar e não queria deixar comida estragar, então o almoço consistiu de 4 drumets (coxinha da asa do frango, sabe?) que tinham sobrado do churrasco + salada + uma porção de batata rosti que eu tinha congelada. A batata rosti não tinha bacon nem nada, então achei que era uma refeição equilibrada, mas, como sempre, estava errada. 

O surpreendente foi que o item calórico da refeição não foi a batata, mas o drumet: cada um tem 171 calorias (!!!). Gente, como pode? Além de o drumet ser MINÚSCULO (tirando o osso, de carne mesmo,  aquilo deve ter uns 15g), sempre me disseram que frango era light! hahah Me enganaram a vida inteira?  O que está acontecendo com o mundo? Com essas calorias dava pra comer um cheeseburger!

Enfim, juntando esse almoço com o pão de queijo, já davam 1180 kcal. Com mais uma barrinha de cereal  e um polenguinho de lanche, cheguei a 1350 kcal e mais uma vez fiquei sem jantar.


[3]
Hahahah, estou me superando na tosquice!

O certo é que, depois dessas tristes experiências, decidi planejar minuciosamente minhas futuras refeições. Também percebi que preciso urgentemente de alguma receita de caloria zero (ou quase, né, até 50 kcal serve) pra comer de janta nessas situações de estouro de cota antes do tempo. Talvez uma sopa de cebola light? Aceito sugestões!




quarta-feira, 17 de abril de 2013

Pesagens



Post rapidinho só para esclarecer, para fins científicos e estatísticos (haha), como estou fazendo minhas pesagens: todo dia de manhã, sem roupa, logo após sair do banho.

Os aspectos "de manhã" e "sem roupa" são bem fáceis de entender: primeiro, porque, quem eu quero enganar, é o momento do dia e "vestimenta" em que fico mais leve! hehe Segundo porque assim dá pra controlar melhor as variáveis externas. Ninguém merece ter sua pesagem alterada pelo líquido acumulado durante o dia e pelas roupas que está vestindo, fora o fator depressão de parecer que não está perdendo peso nenhum.

Já se pesar todo dia é um pouco mais polêmico. Como o peso pode sofrer alterações aleatórias, muitos profissionais desse ramo recomendam que a pesagem ocorra apenas uma vez por semana, sempre no mesmo horário e, de preferência, sem roupa. Mas eu sou ansiosa e quero saber o que está acontecendo. Depois, descobri que pode ser bastante útil para observar como seu corpo reage a cada tipo de alimentação. Por exemplo, eu geralmente emagreço quando fico muito tempo sem comer (contrariando várias teorias vigentes) e sempre engordo quando como muita carne vermelha, mesmo sem comer carboidratos. Como sempre desconfiei, acho que dietas de proteínas não funcionam muito bem pra mim.

Inclusive, outro dia estava lendo que o modo como seu organismo digere cada alimento pode ser mais relevante que a quantidade de gorduras ou calorias que ele contém (embora isso também conte, óbvio). No meu caso, parece que meu organismo não digere muito bem carne vermelha e estou considerando fazer um teste pra ver se isso se confirma. Vamos ver. :P

Enfim, a pesagem diária é bastante útil nesse sentido, mas, se você vai surtar porque engordou um pouco no dia e chutar tudo pro alto, deixa pra uma vez por semana mesmo. 


Como foi: Fase 1, Dias 2 e 3

Como foi? Um desastre total! haha



Ok, não foi tão ruim assim porque acabei não engordando, mas me comportei mal. :/ Mas, também, foi difícil. Vejam:

Sexta


Muito contente com o meu limite de calorias mais alto (1600 kcal), fui fazer um dos meus programas preferidos: almoçar com amigos em um restaurante gostoso. Como eu sabia que ia beber, não pedi entrada e escolhi o prato mais light do cardápio. Até aí, tudo bem, bebi meu vinho sem culpa.

O ruim foi que o tal prato light estava super meia-boca, então não estava me sentindo muito satisfeita ao fim da refeição. Pra piorar, os meus amigos, que quase nunca pedem sobremesa e, quando pedem, dividem, resolveram todos pedir um doce pra cada um, porque o melhor do restaurante era justamente a sobremesa. Obviamente não resisti e pedi um cheesecake com calda de chocolate e nozes (:D~~). AMO! E, como não pedi café, resolvi pedir um licorzinho pra fechar a refeição. Hein? hahah Péssima substituição, eu sei, mas a essa hora eu já não estava raciocinando direito, altinha com os vinhos e eufórica com o açúcar.

Resultado: não tinha comido nem metade das refeições do dia e já tinha extrapolado minha cota, com 1700 calorias. Pra piorar, enquanto contava as calorias, percebi que na verdade eu não tinha direito ao limite mais alto de sexta-feira, porque ele só existe quando malho a semana toda e só comecei na quarta. D: Meu limite devia ser uns 1300 e olhe lá!

Contando as calorias também descobri que o prato meia-boca não era tão light assim; aliás, era bem gordinho. Vivendo e aprendendo. Fiquei com aquela sensação de quando a gente tem que estudar, mas fica enrolando: você nem aproveita seu tempo livre, nem estuda de uma vez e se livra! Aff.

Fiquei me sentindo superculpada de já estar jacando no segundo dia e resolvi não comer mais nada o dia inteiro, até porque não estava sentindo fome. Eu sei...

Reeducação alimentar: você está fazendo isso errado

A boa notícia é que, ao me pesar no dia seguinte, descobri que não apenas não engordei, como ainda perdi uns 100 graminhas. hehe Coisas que só acontecem na primeira semana de dieta...

Sábado


Bom, sábado foi dia de churrasco lá em casa. À noite. Já viu, né?

Felizmente, não sou muito fã de churrasco. Assim, eu gosto, mas consigo me controlar. hehe Então, eu comi um almoço bem light (os charutinhos de repolho de que falei ontem) e não tomei iniciativa de fazer nenhum acompanhamento (arroz, farofa, vinagrete...); logo, é claro que nenhum dos caras organizando o churrasco ia fazer e, portanto, não ia ter! haha Então achei que a ausência de carboidratos e o dia light iam contrabalançar a gordura da picanha.

Por isso, tive a brilhante ideia de fazer uma Torta Floresta Negra! haha Eu acho que sublimei a informação, agora já conhecida, de que o limite de calorias deste fim de semana não tinha aumentado. Sei lá. O fato é que há meses eu estava louca pra fazer essa receita - que supostamente é a original alemã - e achei que seria uma ótima oportunidade, porque aí todo mundo come e eu só fico com um pedaço, em vez de abocanhar metade do bolo sozinha, que é o que acontece quando faço doce só pra mim e pro meu namorado. Também seria uma desculpa pra não ter que ficar limpando e temperando carne, tipo: já fiz a torta, agora me deixem em paz!


A culpada


Além disso, o churrasco era só com amigos de trabalho do meu namorado, então em algum momento eu fiquei entediada e decidi que ia beber um uisquinho pra me alegrar. Haha, total alcóolatra! Misturei com energético e MUITO gelo, revezando com água e chá verde. Surpreendentemente, não foi muito calórico, não, apesar de sempre ter ouvido falar que whisky é a bebida mais engordativa de todas. No final das contas, o que pesou mais foi a carne mesmo.

Mesmo assim, de novo passei do meu limite: 1650 calorias e engordei 200g, me pesando no dia seguinte.

Moral da história: se beber, não dirija...e não coma sobremesa.




terça-feira, 16 de abril de 2013

Receita: Charutinho de Repolho recheado com queijos

Essa é uma receita adaptada de outra que achei no site da GNT. Lá tem muitas receitas lights! O problema é que muitas dão errado também. hehe Mas essa eu achei bem gostosinha, além de ter apenas 228 kcal e ser low carb. Acho uma ótima opção de janta. :)

Ah, eu sempre dou notas de 1 a 5 para todas as comidas que faço; vou colocá-las aqui também. Essa receita ganhou 3 estrelinhas.

Lá vai:

Charutinho de Repolho com recheio de queijos 




Calorias: 228 por porção (ou 6 pontos)


Ingredientes para 4 porções (ou 8 charutinhos):

- 8 folhas grandes de repolho

Recheio:

- 200g de queijo cottage
- 100g de gorgonzola
- 1 cenoura ralada
- salsa picada a gosto
- orégano, sal e pimenta

Molho:

- 2 xícaras de molho de tomate
- 4 colheres de sopa de parmesão ralado light

Modo de preparo:


1) Leve as folhas de repolho ao fogo, em uma panela com um pouco de água, para que amoleçam a ponto de enrolar.

2) Prepare o recheio: amasse os queijos com um garfo e misture com os demais ingredientes.

3) Coloque 1/8 do recheio em cada folha de repolho e enrole. Caso a folha se despedace ou seja muito pequena, relaxe: use duas, que dá no mesmo.

4) Coloque os charutinhos em uma travessa, jogue o molho por cima, polvilhe o parmesão e leve ao forno pré-aquecido por 15 minutos ou ao forninho elétrico por 10 minutos.

Está pronto! 



Ok, a cara não ficou muito bonita, mas ficou bom, principalmente considerando a relação caloria/gostosura.

A receita poder ficar mais light, trocando o gorgonzola por cottage ou ricota, mas também fica muito menos gostosa. Nesse caso, eu adicionaria 1/2 cebola picadinha e 2 alhos esmagados ao recheio, pra dar um gostinho. Essa versão mais light tem só 154 kcal e é uma opção para quem não fica satisfeito só com 2 charutos, porque aí dá pra comer 4 de boa. Particularmente, eu prefiro comer só 2 com gorgonzola! haha

Fiquei em dúvida sobre colocar ou não a receita do molho de tomate expresso que eu costumo fazer. Bom, fica pra próxima!

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Como foi: Fase 1, Dia 1

Bom, o Dia 1 da Controle de Calorias não foi lá muito light, mas consegui ficar até abaixo da meta. O "cardápio" foi o seguinte: 

Café da manhã: 

1 ameixa + 1 Iogurte Grego Nestlé (143 kcal ou 3 pontos)

Almoço:

 Fettuccine com brócolis, cogumelos e gorgonzola (503 kcal ou 14 pontos)

Lanche: 

5 balinhas Beauty Candy (20 kcal ou 0 pontos)

Lanche II: 

Barra de frutas de laranja Nutry + Barra de gergelim e linhaça Levittà (110 kcal ou 3 pontos)

Janta: 

Charutinho de repolho com recheio de queijos e molho de tomate (228 kcal ou 6 pontos)

Lanche III:

 Pera (96 kcal ou 2 pontos)

Total: 1.100 kcal ou 28 pontos

Não foi muito planejado, pois o fettuccine do almoço já estava na geladeira e não queria que estragasse. hehe Então acabei comendo isso mesmo, mas não era a melhor escolha. 

Teoricamente eu também deveria comer mais no café da manhã, mas não sinto fome nesse horário e, quando eu finalmente não tenho fome, aproveito e como menos mesmo. haha São ocasiões tão raras...

As balinhas Beauty Candy, que comi no lanche, são uma ótima pedida. Supostamente elas têm vitaminas, colágeno e nutrientes que são bons para a pele, cabelo etc., ou seja, são nutricosméticos, mas pra mim o bom é que são gostosinhas e dão uma tapeada na fome. Se ajudarem na minha aparência, então, melhor ainda, mas sou completamente incapaz de avaliar esse tipo de efeito.

O charutinho de repolho foi bem light e ficou gostosinho; depois vou postar a receita dele.

O resultado foi bastante bom: não apenas não recuperei o peso perdido com a dieta líquida, como ainda perdi mais 300g!\o/  Com isso, consegui completar mais um quilo perdido, então...

Contagem Regressiva: 5 kg perdidos, 10 to go!





domingo, 14 de abril de 2013

Fase 1: Controle de Calorias

E lá vamos nós!


Agora é que a dieta realmente começa.

A ideia aqui é que a dieta seja bem tranquila de seguir, naquele esquema de reeducação alimentar, em que se pode comer de tudo, desde que com comedimento. O objetivo é ser mais consciente em relação à alimentação - por isso tenho que anotar tudo o que como -, e aprender a fazer escolhas entre alimentos mais lights e nutritivos e aqueles supergostosos e engordativos. Os resultados aparecem, porém lentamente: é um plano de longo prazo, no estilo "devagar e sempre".

A maioria dos nutricionistas tradicionais passa uma dieta desse tipo, estipulando um máximo de calorias a ser consumidas por dia ou simplesmente passando um cardápio que o cliente deverá seguir. Eu detesto o esquema do cardápio fixo, porque gosto de umas comidas diferentinhas e acho que dá pra roubar muito na dieta mesmo seguindo direitinho o menu indicado. Por exemplo, um frango com salada de restaurante geralmente é muito mais calórico/engordativo que uma massa feita em casa, desde que com atenção ao limite de calorias.

Essa também é a base das dietas de pontos, em que cada alimento vale uma quantidade de pontos estipulada pelo programa e cada pessoa tem um limite diário do que pode consumir. A diferença é que às vezes os pontos contam com algumas outras características. Por exemplo: o programa do Dieta e Saúde (do grupo Minha Vida), considera também a quantidade de gorduras dos alimentos para a atribuição de pontos, não só as calorias. A dieta do Emagrecendo considera só as calorias nos pontos, porém classifica os alimentos em verdes, amarelos e vermelhos, sendo que os verdes podem ser consumidos à vontade (desde que dentro do limite de pontos); os amarelos podem ser consumidos em até 20 porções; e os vermelhos, em geral doces e comidas gordurosas, em até 5 porções.

Então o que eu vou fazer na Fase 1 é basicamente a mesma coisa, só que sem os pontos e calculando eu mesma o limite diário de calorias. Ela é um pouco mais complicada que a Fase 0 e dessa vez não estou copiando de nenhum lugar específico, então vou dividir as regras em um passo-a-passo, para ficar mais fácil de entender.

Passo 1: calculando o limite diário de calorias


O primeiro passo, portanto, é estabelecer quantas calorias podem ser consumidas diariamente. Quando vamos a um nutricionista, em geral funciona assim: se ele for um bom profissional, essa quantidade máxima ou cardápio dependerá da constituição física e do estilo de vida de cada um; senão, ele passa um limite máximo/cardápio padrão, igual para todos os clientes ou, no máximo, diferenciando entre homens e mulheres (normalmente, de 1200 a 1500 calorias diárias para mulheres). Na verdade, isso depende do quão rápido se quer perder peso e do metabolismo de cada um. 

Considerando que a ideia aqui é o "devagar e sempre", vou seguir o recomendado pela maioria dos nutricionistas, que é perder no máximo 1kg por semana. Como meu metabolismo é lento, é muito possível que, com essa dieta, eu só consiga mesmo perder 500g por semana, mas, ok, chegaremos lá.

Para perder 1kg, é preciso haver um gasto de cerca de 8.000 calorias, ou seja, ao final de uma semana, é preciso que haja uma diferença de 8.000 entre o quanto ingerimos e o quanto gastamos. Então, para calcular seu limite diário de calorias, basta saber quanto é gasto por semana, diminuir 8.000 e dividir por 7 (para cada dia semana).

Vamos no passo-a-passo:

1) Descobrir quantas calorias gastamos por semana


Para isso, temos que calcular a Taxa de Metabolismo Basal, que  é a quantidade de calorias que o corpo utiliza, durante o repouso - ou seja, sem levar em consideração as atividades físicas, para manter as funções vitais, como os batimentos cardíacos e a respiração. Para calculá-la, vamos contar com a ajuda da nossa querida Wikipedia, que, assim como vários outras fontes, informa o seguinte:


Cálculo do Metabolismo Basal

Taxa de atividade
  1. Sedentário = 1.2 (pouco ou nenhum exercício)
  2. Levemente ativo = 1.375 (exercício leve 1 a 3 dias por semana)
  3. Moderadamente ativo = 1.55 (exercício moderado, faz esportes 3 a 5 dias por semana)
  4. Altamente ativo = 1.725 (exercício pesado de 5 a 6 dias por semana)
  5. Extremamente ativo = 1.9 (exercício pesado diariamente e até 2 vezes por dia)
  • Cálculo para Homens: MB = Taxa de atividade x {66 + [(13,7 x Peso(kg)) + ( 5 x Altura(cm)) - (6,8 x Idade(anos))]}
  • Cálculo para Mulheres: MB = Taxa de atividade x {655 + [(9,6 x Peso(kg)) + (1,8 x Altura(cm)) - (4,7 x Idade(anos))]}

No meu caso, que sou moderadamente ativa, mulher, com 65kg e 1,63, isso significa: 

MB= 1,55 x [655 + (9,6 x 65 + 1,8 x 1,63 - 4,7 x 29)] = 2.225,95 

Isso por dia, mas quero saber o gasto por semana, então: 2.226 x 7 = 

15.582 calorias gastas em uma semana

Se você não está com paciência para calcular a fórmula, não se preocupe, pois existem zilhões de sites que fazem o cálculo pra você. Aqui vão alguns:


É interessante observar que esse cálculo explica o benefício de fazer atividade física regularmente: não é pelo gasto calórico da atividade em si, que em geral é irrelevante, mas por aumentar o metabolismo do organismo, mesmo quando em repouso.

2) Diminuir 8.000


Essa é fácil: 15.582 - 8.000 = 7.582  calorias permitidas por semana

3) Dividir por 7

11.582/7 = 1083 é o meu limite diário de calorias

Ok, na verdade, vou arredondar para 1100, porque ninguém merece esse número quebrado!

Passo 2: ajustando o limite à vida real


Apesar desse limite de consumo de 1100 calorias por dia ser viável, ele é bastante baixo e não permite comer nada muito engordativo, muito menos fazer uma refeição completa, com entrada, prato principal, sobremesa e vinho, do jeito que eu gosto. Churrascos e festinhas, então, nem pensar.

Mas eu quero que a Fase 1 seja fácil de seguir - afinal, para perder meus 11kg nela, eu preciso mantê-la por, no mínimo, 11 semanas, ou seja, quase 3 meses (acho que, na real, serão uns 6). Então, vou adaptar esse limite diário para que eu tenha mais liberdade para comer nos fins de semana e não vire prisioneira da dieta. Como?

Primeiro, esse limite foi calculado considerando o meu gasto de calorias em repouso, sem levar em consideração as atividades físicas. Como estou me esforçando pra ir na maldita academia, nada mais justo que considerar essas atividades, né? Então, eu somo ao meu limite diário os gastos extras do dia. 

De segunda a quinta, faço 30 minutos de musculação e 30 minutos de exercícios aeróbicos, além de 2 horas de dança do ventre por semana. Se eu faço mais de uma hora de alguma atividade cansativa, como compras, jardinagem, faxina etc., eu também conto. Mas, menos que 1h eu acho que é forçar a barra! hehe Eu procuro na internet o gasto calórico de cada uma dessas atividades, então, no caso: 

(4 X) 30 minutos de musculação: 4 x 220 = 880
(4X) 30 minutos de aeróbico: 4 x 220 = 880
120 minutos de dança do ventre: 735

Total: 2495 por semana

Ou seja, além dos 1100 diários, eu tenho direito a 2500 calorias extras (de novo o arredondamento amigo haha) para consumir durante a semana, considerando que eu faça todos os exercícios, óbvio. Aí eu aloco como eu preferir; a única limitação que impus foi que essas calorias extras expiram em uma semana - quer dizer, se malhei na segunda-feira, só posso usar esse gasto extra até o domingo; depois, perdeu, playboy. Também está implícito que só posso usar o gasto extra depois de ter efetivamente malhado; não posso encher a pança considerando que no dia seguinte vou à academia.

A princípio, escolhi distribuir essas 2500 calorias da seguinte forma: + 200 calorias de segunda a quinta (+800), + 500 calorias de sexta a sábado (1600). Ainda sobram 200 calorias, que eu deixo como extra, para não me preocupar nos dias em que eu passar um pouquinho (pouquinho mesmo, até 5%) da cota diária e para compensar esses arredondamentos.

Em suma, ficou assim:

De segunda a quinta, posso consumir até 1300 cal por dia
De sexta a domingo, posso consumir até 1600 cal por dia

Percebam que, mesmo com 1600 cal por dia, não dá para jacar muito. Então, se eu tiver uma festa ou algo assim, posso concentrar minhas calorias extras em menos dias. No entanto, o ideal não é passar fome em um dia pra se empanturrar no outro; tem que ter um mínimo de equilíbrio, que seriam, no mínimo, 1100 calorias por dia; no máximo, 2000 calorias (que é a média de consumo de mulheres, apenas para não engordar).


Passo 3: controlando a ingestão de alimentos



Muito bem, depois de todos esses cálculos, parece que já está tudo pronto para a dieta. Mas isso não foi nada. O trabalho começa agora, pois vai ser preciso anotar TUDO o que se come. Tem gente que acha isso um porre e não consegue, mas eu até acho divertido! haha

Para me ajudar, eu uso um aplicativo para Iphone chamado Contador de Calorias. Ele é ótimo: tem zilhões de alimentos já cadastrados e você pode adicionar os seus; é MUITO prático de usar, tanto pela interface dele como por estar no telefone; tem o calculador de calorias gastas em exercícios; você coloca o seu limite diário de calorias e ele mostra conforme vai preenchendo; tem um gráfico com a evolução do seu peso etc. Enfim, amo e sem ele não sou ninguém!

Tem vários outros, inclusive para Android, e recomendo muito para quem está fazendo esse tipo de dieta baixar um desses aplicativos, pois aí não se perde tempo com isso: eu coloco a comida quando estou subindo elevador, na fila de alguma coisa, no engarrafamento...Enfim, em momentos de tédio, em que o controle de calorias acaba me distraindo, em vez de me chatear.

Também dá pra fazer esse controle por meio de sites. Opção é o que não falta. O site correspondente ao aplicativo de que falei é o Fat Secret, mas nunca usei e não sei se é bom. Tem também o Emagrecendo, de que falei antes. Também se podem usar outros esquemas, tipo Vigilantes do Peso, Dietas de Pontos, ou o que for melhor para fazer esse controle. Eu opto por fazer desse jeito porque é o que me oferece mais liberdade e comodidade.

Resultados esperados


Como já falado, a expectativa é que se perca 1kg por semana com essa dieta. Na prática, deve ser menos, mas o mínimo é 500g por semana. Se se passarem 3 semanas sem que eu perca pelo menos esse meio quilo, vou passar para a fase 2, quando haverá mais restrições.

Eu sei que essa lógica de controle de calorias está um pouco ultrapassada e que o metabolismo é muito mais complexo que uma mera matemática, mas isso é só um começo. No meu plano alimentar, pretendo alternar entre outras abordagens, por isso existem várias fases, mas acho que essa é ideal pra começar e, como ela também vai ser a última fase, antes de passar para uma fase de manutenção, acho que também é uma ótima dieta de transição. Por fim, pra quem quer perder poucos quilos, ela também pode trazer os resultados esperados sem grandes sofrimentos.

Nos próximos posts, além de algumas informações complementares, devo colocar como foram os dias de dieta, porque, embora eu deteste os tais cardápios, sei que tem gente que gosta de ver como é essa restrição de calorias na prática. Até lá! :)


quinta-feira, 11 de abril de 2013

Como foi: Fase 0

Ontem fiz a dieta líquida de que falei no outro post; em outras palavras, a Fase 0 do Plano mirabolante que inventei pra tentar finalmente chegar ao peso que quero. A ideia era desintoxicar o organismo dos excessos pós-Páscoa, me livrar dos (muitos!) líquidos retidos e me preparar para começar uma dieta de reeducação alimentar. Essa dieta líquida consiste basicamente em tomar dois sucos desintoxicantes ao longo do dia.

A logística


Dessa vez foi bem mais difícil do que da outra vez que fiz. Primeiro, porque tem que tomar os sucos de 1 em 1 hora e eu estou fazendo um curso no trabalho que dura o dia inteiro, então não tinha uma geladeira nem nenhum lugar disponível onde pudesse deixar as jarras. A solução foi levar o suco desintoxicante em uma garrafinha de academia, de 500 mL, e tomar quente mesmo (não ficou tão ruim assim). Na hora do almoço, fui em casa e reabasteci a garrafinha com suco pra tomar durante a tarde. Quanto à água com limão (que é tomada em alternância com o suco), em vez de levá-la já pronta, levei o limão espremido em um potinho e ia adicionando na água - bebedouro, pelo menos, eles tinham! O ruim foi que escolhi um potinho meio tosco, que deixava o líquido vazar, então tive que ficar levando o maldito na mão pra lá e pra cá (cada aula é numa sala diferente...).

Foi um pouco chato tomar o suco quente e um pouco vergonhoso ficar levando o potinho com limão na mão e misturando com a água. As pessoas perguntam/olham curiosas e, sei lá, não me sinto muito à vontade em compartilhar que estou fazendo dieta líquida; acho que vão me julgar! haha Detalhe que estou falando sobre isso no blog, mas uma coisa é ao vivo, outra é a impessoalidade da internet.

Enfim, foi um pouco chato, mas superei.

Os efeitos


Esse foi o pior lado da experiência. Da primeira vez que fiz, não senti fome e só me senti um pouco fraca lá pelas 21:00. Dessa vez, como falei, foi mais complicado, e o segundo motivo pra isso foi que houve uma infeliz coincidência: minha série nova na academia estava marcada justamente pra ontem, às 14:00! A minha academia é um pouco chata com remarcações e, se eu cancelasse, ia ter que esperar no mínimo mais umas 3 semanas até achar outro dia com horário. Como a minha série já estava bem velha, resolvi manter, mas não sei se foi uma boa escolha...

Supostamente, não se deve fazer exercício nenhum no dia da dieta líquida, mas, como eu fiz da outra vez, de manhãzinha, achei que não fosse ter muito problema. Mas acho que o horário fez diferença, sim. Novamente, não senti fome em momento nenhum o dia inteiro - um mistério, já que sempre sinto fome o tempo todo haha -, mas lá pelas 16h já estava ficando com dor de cabeça. Às 17 já me sentia fraca e às 18 estava extremamente mal humorada.  Daí pra frente estava com todos os sintomas anteriores, mais pressão baixa. É como se a academia tivesse sugado minhas energias. Mas, sobrevivi. Estou aqui inteirinha e não me arrependo de ter feito; aliás, faria de novo. Bah, é só um dia!

Os resultados


-1,5kg! \o/

Ok que a dieta prevê a perda de 2,27 kg (não sei de onde tiraram esse número cabalístico haha), mas já deu uma amenizada na situação pós-Páscoa e já comecei a Fase 1 mais felizinha. Vamos ver se amanhã esses quilos vão reaparecer na balança.

Mas, por enquanto:

Contagem regressiva: 4 kg perdidos, 11 to go!